Mabel transformou ansiedade em música no álbum High Expectations

A cantora por trás do hit Don't Call Me Up lançou seu 1º disco no começo de agosto e conversou com a CH sobre o processo

Você já deve ter ouvido a música Don’t Call Me Up em alguma playlist, na rádio ou na TV. A voz por trás da canção cujo clipe já tem mais de 113 milhões de views no YouTube é Mabel. A cantora de 23 anos nasceu em Málaga, na Espanha, cresceu em Estocolmo, na Suécia, e agora vive em Londres, na Inglaterra, quando não está fazendo shows pelo mundo. Filha do produtor musical Cameron McVey e da cantora Neneh Cherry, ela prova que o talento é de família. “Meus pais sempre me apoiaram muito, mas nunca me empurraram para a música. Sempre me deixaram escolher que caminho seguir”, contou à CAPRICHO.

Mabel Mabel

Mabel (Universal Music/Divulgação)

A escolha, porém, foi fácil. A garota sempre gostou de escrever suas próprias canções e de cantar também. Aos 19 anos, ela lançou o single Know Me Better em seu SoundCloud pessoal, e dois anos depois já estava sendo indicada ao BRIT Award e abrindo shows de ninguém mais, ninguém menos que Harry Styles! Neste mês, Mabel lançou seu primeiro álbum, High Expectations, e falou um pouco sobre o trabalho, moda e o movimento girlpower à CAPRICHO.

CH: Você já disse algumas vezes que seu primeiro álbum, High Expectations, é uma jornada de auto-conhecimento e que nem sempre foi fácil lidar com ele. Por que decidiu explorar temas difíceis, como ansiedade e falta de confiança, nesse trabalho?

MABEL: Acho que para fazer um bom álbum é preciso ser honesta sobre todos os seus altos e baixos, se colocar sob uma lupa e dar luz a todos os lados diferentes de si mesma. Obviamente, nem tudo sobre sua vida vai ser incrível e essas dificuldades fazem parte de crescer e amadurecer.

CH: Foi complicado se abrir sobre essas questões?

MABEL: Às vezes era difícil descobrir como dizer certas coisas, mas no geral eu me sentia melhor depois de desabafar. Me sinto muito mais forte quando escrevo músicas.

CH: Você é bem aberta sobre o fato de que lidava com falta de confiança no passando. Como superou isso?

MABEL: Antigamente, eu me sentia muito insegura sobre certas coisas. Tinha medo de lançar minhas músicas, por exemplo. Mas acho que é importante ir contra seus sentimentos, nesse caso. Mesmo que esteja com medo, vá e faça. Acredite em você e se arrisque, porque o resultado pode ser muito legal. Isso foi algo que aprendi com esse álbum.

CH: Muitas músicas suas são hinos girlpower, como Don’t Call Me Up e Bad Behaviour. Escrever canções com uma pegada feminista é algo com o que você se preocupa em fazer ou elas simplesmente surgem na sua cabeça?

MABEL: Em geral as músicas vêm naturalmente, mas ao mesmo tempo eu tenho consciência de que é muito importante passar a mensagem de ser poderosa e empoderada para outras mulheres. Para mim, a imagem da mulher independente foi muito importante enquanto eu crescia. Isso com certeza me formou como pessoa, e quero poder passar a mesma mensagem para garotas mais novas que acompanham meu trabalho.

CH: É verdade que você tinha um blog de moda quando era adolescente?

MABEL: Na verdade, não. Isso saiu em algum lugar e não sei de onde as pessoas tiraram essa ideia. (risos) Mas sempre fui muito ligada à moda. Curto muito escolher meus looks e pensar em combinações.

CH: Que tendência atual é sua preferida?

MABEL: Iiih, são várias! No momento estou amando macacões e sneakers.

mabel Mabel

Mabel (Universal Music/Divulgação)

CH: Você anunciou a High Expectations Tour para o ano que vem. O que os fãs podem esperar desses shows?

MABEL: Meus shows são cheios de energia e estou sempre tentando trazer pequenas festas para o palco. É uma experiência e tanto. Se você já foi a um dos meus shows, sempre tento fazer com que ele seja melhor e mais animado do que o outro. Se você nunca foi, quero ter certeza de que você vai querer voltar.

CH: E existe alguma chance de trazer a turnê para o Brasil?

MABEL: Eu amaria! Com certeza irei em algum momento da vida. O Brasil é um dos meus destinos dos sonhos, então vou fazer acontecer algum dia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s