Fergie enfileira hits pop e leva Pabllo Vittar ao Rock in Rio

Cantora fez um dos shows mais longos do festival, alternando sucessos solo e do Black Eyed Peas.

“Estou muito feliz em estar de volta”, disse Fergie durante seu show no Rock in Rio 2017, neste sábado (16/9). Noite em que provou ser dona de uma lista de hits pop de respeito (de sua carreira solo e com o Black Eyed Peas), e genuinamente apaixonada pela música brasileira.

 (Fernando Schlaepfer/I Hate Flash/Divulgação)

Hungry abriu a apresentação, e já na segunda música, Fergie apresentou seu cartão de visitas com Fergalicious, colocando as 100 mil pessoas que lotaram o Rock in Rio 2017 pra dançar.

Pode se dizer que ninguém usou tão bem a passarela do Palco Mundo, que levava os artistas pro meio do público, quanto Fergie. Ela parecia estar em um desfile de moda, mostrando habilidade no catwalk e fazendo carão, pra delírio da galera presente na Cidade do Rock, mas sem esquecer daqueles que assistiam seu show pela TV.

Se tinha alguém ali com alguma dúvida do amor de Fergie pelo Brasil, após Glamorous isso definitivamente acabou. Ela simplesmente surpreendeu todo mundo ao chamar Pabllo Vittar para cantar (“Se tu não for brincar, não desce pro play”) o hit com ela.

 (Paixão/I Hate Flash/Divulgação)

E não foi só isso, na sequência Fergie deixou Pabllo brilhar pelo segundo dia consecutivo no Rock in Rio 2017, mesmo tendo sido esquecida pela produção do festival de Roberto Medina. Assim que começou a batida de Sua Cara, o público foi ao delírio e mais uma vez cantou cada verso do hit do Major Lazer, mas em um coro gigante, que só nos fez ter a certeza de que Anitta não só deveria ter sido escalada para o festival, como facilmente poderia fechar o Palco Mundo, sem dever nada para os artistas gringos. Obrigado, Fergie. Obrigado, Pabllo Vittar. Por “rebolarem” bem na cara de quem esnobou o pop nacional.

Após enxugar as lágrimas de emoção e ainda no clima I Love Brazil, Fergie levou Sérgio Mendes para o palco, para uma versão de luxo de Mas Que Nada.

Após uns clipes que davam uma quebrada no clima do show e algumas trocar de roupa, a cantora entrou de cabeça no repertório do Black Eyed Peas.

 (Yoshioka/I Hate Flash/Divulgação)

My Humps, Party All The Time, Let’s Get It Started, Boom Boom Pow e Meet Me Halfway foram algumas das canções do BEP que aparecem no setlist, que por sinal foi um dos mais longos do festival.

Big Girls Don’t Cry, primeiro sucesso solo de Fergie, emocionou as manas do Rock in Rio, todas se identificando muito com os versos sofridos da cantora.

I Gotta Feeling, maior hit do Black Eyed Peas, foi a canção escolhida para encerrar o show. E não poderia ter sido mais certeira, deixando um clima de festa no ar e com Fergie desfilando com uma bandeira do Brasil vinda do público. Final perfeito para a apresentação que melhor homenageou o passado e o presente do pop nacional.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s