Vingadores: Ultimato finalmente tem o 1º personagem gay da Marvel

Os diretores Joe e Anthony Russo falaram sobre a importância de trazer representatividade LGBTQ+ para seus filmes

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 26 abr 2019, 13h08 - Publicado em 25 abr 2019, 18h25

ATENÇÃO: ESTE TEXTO CONTÉM PEQUENOS SPOILERS DE VINGADORES: ULTIMATO

spoiler-alert
GIF/CAPRICHO

Vingadores: Ultimato veio mesmo para abalar o mundo dos fãs de super-heróis! Entre batalhas gigantescas e cenas emocionantes, a quebra de alguns padrões acabou chamando a atenção da galera. Após anos e anos de pedidos por um personagem LGBTQ+, a Marvel finalmente atendeu aos desejos do público!

A pessoa em questão não se trata de um dos heróis, mas sim de um cara comum que aparece ainda no começo do filme. O personagem, interpretado por Joe Russo, que dirigiu o longa ao lado de seu irmão, Anthony, está na reunião de um grupo de apoio de gente que perdeu seus entes queridos após o estalar de dedos de Thanos em Guerra Infinita.

vingadores-ultimato-teaser-cena-1
Reprodução/Instagram

Durante uma conversa liderada pelo Capitão América, que tenta ajudar essas pessoas a seguirem em frente, o personagem de Russo comenta que teve seu primeiro date após perder seu marido para a tragédia que aconteceu cinco anos antes. Tudo bem que o que a gente queria era um super-herói gay ou uma heroína lésbica, mas o fato de ter alguém falando sobre o universo LGBTQ+ abertamente em um filme da Marvel já é um pequeno passo, né?

Em entrevista ao Deadline, Joe Russo explicou por que ele mesmo decidiu interpretar o personagem. “Nós fizemos quatro filmes da Marvel e queríamos pelo menos um personagem gay neles. Achamos que era importante também que ele fosse interpretado por um de nós, assegurando a integridade do momento”, disse. “Este é o momento perfeito para isso, porque uma das coisas que está empurrando o universo cinematográfico da Marvel para frente é o seu foco na diversidade”, concluiu.

Joe Russo e Anthony Russo durante evento de Vingadores: Ultimato em Londres David M. Benett/Dave Benett/WireImage/Getty Images

O irmão dele, Anthony, completou: “Quando você tem uma história que inclui a morte de metade dos seres vivos do universo, é algo maior do que os Vingadores, é algo que afetou o mundo todo. Queríamos ter uma voz expressando como os anos após o estalar de dedos de Thanos foram para as pessoas comuns. Precisávamos desta cena no filme. Ela não é gratuita. O personagem de Joe teve origem nisso, ele é só um cara comum que sofreu com estes acontecimentos”, falou.

  • Os dois também reforçaram o fato de que o filme está em exibição até mesmo em países onde ser gay é considerado crime, por isso a cena, mesmo que simples, serve como uma mensagem de apoio aos fãs LGBTQ+ ao redor do mundo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade