Por que é necessário problematizar a categoria Melhor K-pop no VMA 2019?

Embora a novidade tenha chamado atenção, os fãs não ficaram muito felizes com a escolha

Por Gustavo Balducci Atualizado em 29 jul 2019, 16h43 - Publicado em 29 jul 2019, 12h24

Na última semana, a MTV divulgou sua lista de indicados da edição deste ano do VMA, uma das maiores premiações do mundo da música, que acontecerá no dia 26 de agosto em Newark, nos Estados Unidos. Entre nomes badalados, uma novidade chamou a atenção da galera. Inédita entre os prêmios, a música asiática ganhou sua própria categoria, a da “Melhor K-pop”.

Kill This Love, do BLACKPINK, Boy With Luv, do BTS com participação da cantora Halsey, Tempo, do boygroup EXO, Who Do U Love, parceria entre Monsta X e French Montana, Regular, do NCT 127, e a carismática Cat & Dog, do rookie Tomorrow X Together, foram as faixas selecionadas para inaugurar o novo hall do VMA. Mas será que devemos considerar essa categoria dedicada ao K-pop uma conquista? Não é o que os fãs do ritmo e boa parte da mídia considerou – e nós te explicamos o porquê.

  • Apesar da boa intenção, a iniciativa da MTV vem sendo associada a uma tentativa de segregar o gênero asiático de suas demais categorias, evitando assim que os grupos de K-pop – e seus números estrondosos de vendas e views – possam levar a maior parte dos prêmios principais para casa. O anúncio teve reações mistas, e claro que parte do fandom ficou muito feliz com a indicação do seu grupo favorito, mas a maioria recebeu a ação da MTV como descaso, considerando essa uma estratégia para alavancar audiência ou até mesmo um ato com viés xenofóbico e racista.

    Como um fenômeno global, o K-pop conquistou muito espaço no Ocidente ao longo dos últimos 10 anos. Só em 2019, a faixa Boy With Luv ficou em primeiro lugar entre 65 países no iTunes e foi seguida por todas as demais canções do disco Map Of The Soul: Persona no TOP 10. O último álbum do BTS ainda ficou em número #1 nos charts da Billboard 200 e foi condecorado pelo Guinness World Records 2019 como o álbum mais vendido na história sul-coreana. E não para por aí! O hit do grupo quebrou ainda o recorde de vídeo mais assistido do YouTube nas primeiras 24 horas, seguido por BLACKPINK com a poderosa Kill This Love, que já ultrapassou os 500 milhões de views e também aparece entre os cinco primeiros colocados da lista. Ainda assim, nenhum dos dois grupos foi nomeado para as categorias de “Vídeo do Ano” e “Música do Ano” na premiação.

    No tweet, a MTV parabenizou o cantor French Montana pela nomeação, mas esqueceu de escrever que o grupo Monsta X é o artista principal da faixa. Nos comentários, os fãs tentaram sinalizar o erro.

    Continua após a publicidade

    Outra polêmica é que as premiações musicais norte-americanas estão sofrendo um enorme desinteresse por parte do público – e foi o que aconteceu com o VMA nas suas últimas edições. Parte da crítica especializada acredita que o evento já não consegue cativar espectadores e, segundo a agência global Nielsen, apenas 5,23 milhões de pessoas assistiram à cerimônia em 2018, tornando a edição uma das piores audiências da história. Como estratégia, a MTV até mudou o prêmio, que sempre aconteceu nas noites de domingo e agora será realizado na segunda-feira, numa tentativa de diminuir a disputa com os demais canais de entretenimento. A revista Rolling Stone também alega que o show se tornou obsoleto há muito tempo e, como novos artistas surgem a todo instante na era do streaming digital, uma premiação que é feita apenas uma vez no ano rapidamente se tornará ultrapassada e perderá sua relevância entre os amantes da música.

    No último aniversário do J-Hope, mais de 9 milhões de fãs assistiram à sua live. Foram 4 milhões de espectadores a mais que a última edição do VMA.

    Com as comparações, é fácil dizer que o K-pop se tornou uma arma poderosa para engajar novos públicos. Os membros do BTS se apresentaram na última edição do Billboard Music Awards, que atingiu um total de 7,96 milhões de telespectadores. Até o momento, mais de uma dúzia de artistas coreanos já realizaram turnê nos Estados Unidos no primeiro semestre de 2019, incluindo as divas do BLACKPINK, que também subiram no palco do lendário festival Coachella, em abril.

    Podemos dizer que o BTS e todos os demais indicados na categoria “Melhor K-Pop” estão no mesmo nível ou até mesmo acima dos demais indicados à categoria principal da premiação. E mesmo que tradicionalmente o VMA possua uma categoria para artistas latinos, o mesmo não acontece para músicos australianos e britânicos. Pior ainda é quando analisamos a categoria “Melhor Coreografia”, na qual somente Boy With Luv levou indicação. Não é preciso relembrar que a dança é uma das marcas registradas do K-pop, né?

    A controvérsia segue gerando conflito nas redes sociais. Bruce Gillmer, diretor de música internacional da MTV, alega que a adição da categoria vem para “refletir o rico cenário da música pop”. Em resposta, os fãs de K-pop continuam subindo tags como #VMAsRacist e #VMAsXenophobic em suas postagens pessoais.

    Qual é a sua opinião sobre o tema?

    Continua após a publicidade
    Publicidade