Perfeito! Ed Sheeran mostra que dá para segurar um show com voz e violão

Depois de dois anos, o cantor voltou a se apresentar no Brasil, nesta quarta-feira (13/02), em São Paulo

Por Mel Trench - Atualizado em 16 fev 2019, 11h45 - Publicado em 14 fev 2019, 02h34

YAY! Ed Sheeran está de volta ao Brasil! Depois de seu último show em 2017, o cantor conseguiu atrair um público ainda maior do que da última vez – só em São Paulo serão duas apresentações (e ainda vai rolar mais uma em Porto Alegre, no dia 17)! A CAPRICHO acompanhou de pertinho a primeira apresentação de Ed por aqui neste ano, que aconteceu nesta quarta-feira (13/02) no Allianz Parque, em São Paulo. E ele provou mais uma vez que consegue ser ainda mais fofo que suas próprias músicas! “Olá, São Paulo! Como vocês estão? Estou feliz de estar aqui!”, disse enquanto tocava a faixa que abriu o show, Castle On The Hill.

Para começar, o cantor não precisou usar nada além de uma camiseta laranja, calças jeans, um anel no dedo, a voz afinadíssima e, é claro, um violão e uma guitarra. Isso é o que mais surpreende quem está assistindo – dá, sim, para fazer uma apresentação muito boa sem grandes artimanhas. Ed encantou a plateia com sua simplicidade e ainda garantiu: “Tudo é ao vivo. Sou eu e esse pedal de loop”, objeto que utilizou para gravar sua própria voz e dar efeitos para as canções. Quem sabe faz ao vivo, né não?

Falando em músicas, depois de Castle On The Hill, Ed partiu para Eraser, também de seu último álbum, Divide. Depois ele seguiu com The A Team, de Plus, e o pessoal decidiu acompanhar a canção com a luz da lanterna do celular ligada, deixando todo o estádio cheio de pontinhos brilhantes. Foi bem bonito! Nesse meio tempo, Ed dividiu com a gente que ficou surpreso com a animação do público da primeira vez que esteve no Brasil, em 2015. Se tem uma coisa que a gente faz bem é aproveitar direito um show! Hahaha.

Aí, o cantor apostou em um medley de seu hit Don’t com New Man e ficou incrível! As duas músicas deram uma boa animada no pessoal, tanto que Ed falou: “Sinto que essa plateia faz mais barulho do que a de 2017. Eu preciso que seja bem alto”. Seu pedido é uma ordem! Acontece que o pessoal levou bem a sério essa história e gritou bastante depois de Dive, que deu sequência ao show. Edinho teve até que sinalizar para o pessoal falar mais baixo, para que todo mundo pudesse ouvir o que ele tinha a dizer. Hahaha.

Nesse momento, o cantor explicou que geralmente 98% da público se envolve com o show, mas que a mensagem era para aqueles outros 2%. Ele disse que uma parte dessa porcentagem são os namorados acompanhando suas amadas e que eles só sabem dizer que ele é o cara que fez uma ponta em Game Of Thrones. Rs. Já os outros são os pais que levam seus filhos ao show, como seu próprio pai fazia. Para essas pessoas, Ed falou: “Se vocês se envolverem, vão aproveitar muito mais”. Tá certíssimo!

Ele continuou a apresentação com Bloodstream, em qual pediu para que o acompanhassem com as mãos para cima e para baixo durante o refrão. Deu até para perceber que os efeitos em todos os telões seguiam o ritmo da música. Ao final, o cantor jogou a palheta que estava usando para a plateia. Imagina a sorte de conseguir pegar? Ed ainda tocou Happier e Terenife Sea, canção que ninguém imaginava que ele fosse apresentar na noite. E, olha, ele mandou muito bem! Foi a hora em que mais pôde mostrar como as cordas vocais estavam afinadíssimas!

Nosso ruivinho preferido decidiu fazer mais um medley e juntou All Of The Stars, Lego House e Give Me Love em uma tacada só. Na última, ele dividiu a plateia pela metade e deixou cada lado encarregado de entonar uma melodia. Aí foi a vez Galway Girl, música que tem o clipe com Saiorse Rowan, tanto que ela até apareceu nas imagens da tela do fundo do palco.

Em seguida, Ed fez um cover de Feeling Good, de Nina Simone, e emendou com I See Fire, música que faz parte da trilha sonora de O Hobbit, tanto que o telão chegou até a mostrar algumas cenas do filme. Depois, Edinho nos guiou para a parte mais romântica do show, em qual cantou primeiro Thinking Out Loud, que contou com o desenho de um casal dançando no fundo, e Photograph, onde várias fotinhos do cantor surgiram para enfeitar os telões. Algumas pessoas se emocionaram nesse momento do show e outras aproveitaram para ficar juntinho com o boy/girl. Foi bem fofo!

Depois, Ed cantou Perfect, do álbum Divide, e finalizou a com Sing. Nesta música, o público pulou e cantou muuuuuito junto, quase como uma despedida. Mas o cantor foi só trocar de roupa e adivinha só o que ele colocou? A camiseta do Brasil! A gente adorou a surpresa <3. O fofinho voltou com Shape Of You e You Need Me, I Don’t Need You, para fechar a noite com chave de ouro. No final de tudo, a gente saiu de lá querendo carregar o Ed em um potinho e com vontade de ouvir todos os álbuns de novo. Já estamos com saudades!

Lembrando que o cantor se apresenta novamente nesta quinta-feira (14/02) em São Paulo, no Allianz Parque, e em Porto Alegre, na Arena do Grêmio, neste domingo (17/02).

A dúvida que fica é: tem como se apaixonar ainda mais por Ed Sheeran?

Publicidade