Para ficar de olho: Parks & Recreation + bônus de True Blood e Vampire Diaries

Por Da Redação 12 mar 2013, 14h56

Se você ainda não assiste Parks & Recreation, vai assistir um dia. Sabe por quê? Porque Parks é aquela série que parecia inofensiva mas te dominou começou modesta, mas foi se tornando grande no boca à boca. Uma hora, quando você menos esperar, eu (ou muito mais provavelmente uma amiga sua) vai te falar “OMG ASSISTA!” e você vai começar a ver um episódio aqui, outro ali e viciando aos poucos.

Foi assim comigo. Uma amiga foi quem me deu a bronca: “Mari, você escreve sobre séries, criatura. Como não assistiu Parks?”. E eu pensando: ah tá bom, senta lá (espero que ela não esteja lendo isso!). Não porque eu achasse a série ruim e depois tenha me apaixonado. Não é por aí. Não estou dizendo pra vocês que é imperdível, apaixonante, genial e absolutamente necessária. Não é isso. É uma série honesta, que distrai a cabeça, tem momentos ótimos – e alguns sim, geniais.

a galera do departamento

E cá entre nós, tinha um bode profundo da cara da Amy Poehler. Talvez até ainda tenha hahaha, porque acho ela estranha. Mas ela é adorável, quem viu o Globo de Ouro com ela e a Tina Fey muuusa (sou geração Meninas Malvadas, ok?) sabe do que estou falando. Além de serem super amigas, essas duas possuem um senso de humor muito parecido, cheio de ironia. É exatamente esse o forte da série.

O tal departamento de Parques & Recreação, que dá nome à série, é uma repartição pública da prefeitura da cidade fictícia de Pawnee, no estado de Indiana. Com poucos recursos financeiros e pouco prestígio dentro do governo, eles se viram dando um “jeitinho” para fazer o trabalho (en) rolar. Meu personagem favorito é Ron Swanson, que agora virou meme dançante (haha) com o preview da música nova do Daft Punk.

 

httpv://www.youtube.com/watch?v=2YGTW555Gu4

Parks & Recreation é o que os gringos chamam de mockumentary – o que eu defino como documentário de brinks. Ela é toda filmada como se tivesse uma equipe de produção de um doc seguindo cada passo do cotidiano do departamento de Leslie Knope (Amy). Várias vezes por episódio os funcionários dão depoimentos olhando pra câmera. Acho esse truque bem mais legal que as piadas prontas sempre usadas pela maioria das comédias, porque você pega os exageros, as mentiras e os erros dos personagens. Rende uns momentos cômicos super ótimos.

Continua após a publicidade

O casal-nhé (e Rob Lowe ao fundo no air guitar hahaha – saudades dele desde Brothers & Sisters)

Entre os pontos fracos – não me fuzilem como fizeram por causa da Amy Farrah Fowler – eu citaria o Ben (Adam Scott). Não sei, não compro muito o namorinho entre ele e a Leslie, acho que é um casal que não combina. E acho o personagem chato. Em contrapartida, a Rashida Jones (volta franja, volta!) como a enfermeira tensa Ann é divertidíssima, mesmo quando dá vontade de esganá-la.

Indicada principalmente para: fãs de The Office e 30 Rock.

 

Bônus: True Blood + Vampire Diaries

E quem gosta de série pinga-sangue (hahaha vou adotar a nomenclatura), tem novidades: True Blood, que perdeu seu produtor Alan Ball para Banshee com o fim da temporada passada, acabou de perder o substituto! Mas muita calma, porque já temos o substituto #2 no lugar. A questão que fica pra quem assiste é: será que desandou? Afinal, as primeiras notícias da 6ª temporada dão conta de vários personagens novos inclusos. (Nunca acho boa notícia o tal fenômeno Grey’s Anatomy de engordamento de elenco).

E quem curte The Vampire Diaries, prepare seu coração e bolso: Ian Somerhalder lindão adoro desde os tempos de Lost vem acompanhado de Paul Wesley e Torrey DeVitto ao Brasil nos dias 22 e 23 de junho, para a convenção Bloodlines. Lá eles terão uma programação só para fãs!

 

Resumo: quero saber de vocês! O que acham de Parks? Quem não viu, ficou com vontade? E o que acharam das novidades de True Blood e The Vampire Diaries? Deixem nos comentários!

Beijo 😉

Continua após a publicidade
Publicidade