O motivo pelo qual Harry e Meghan não serão tutores de seus futuros filhos

Descobrimos mais uma regra bizarra que envolve a família real britânica

Por Da Redação Atualizado em 24 ago 2018, 10h39 - Publicado em 22 ago 2018, 16h36

A gente bem sabe que a família real britânica adora criar alguns protocolos de conduta – e tem até algumas regrinhas que seus membros precisam seguir que são bem bizarras, né? Acredite ou não, elas vão dos looks e das regras de etiqueta até a custódia dos filhos dos casais da realeza!

familia-real-casamento-principe-harry-meghan-markle
Meghan Markle agora faz parte da família real oficialmente Alexi Lubomirski/Divulgação

Pois é! De acordo com o site News Australia, a rainha Elizabeth II é quem tem a custódia dos filhos de seus netos. Isso significa que, se príncipe Harry e Meghan Markle decidirem começar uma família, seus filhos serão responsabilidade inteira da rainha e seus verdadeiros pais não terão direito à tutela dos bebês.

+ Leia mais: Príncipe Harry sempre ouve uma pessoa da família real – e não é a rainha!

Caso você esteja se perguntando, sim, George, Charlotte e Louis, filhos do príncipe William com Kate Middleton, já têm suas tutelas em nome da avó. E essa é uma medida de séculos passados…

  • “O soberano tem a custódia legal dos netos menores. (…) Isso remete ao rei George I (que governou no início dos anos 1700) e a lei nunca foi alterada. Ele fez isso porque tinha um relacionamento muito ruim com seu filho, o futuro rei George II, então eles aprovaram essa lei, o que significava que o rei era o guardião dos netos”, explicou a especialista em assuntos da família real Marlene Koening ao veículo.

    Com a tutela, por exemplo, é a rainha Elizabeth II quem decide como as crianças serão educadas e também quem autoriza que elas possam viajar para fora do país.

    Continua após a publicidade
    Publicidade