Ministro da Ucrânia critica estereótipo em Emily em Paris: “Ofensivo”

Oleksandr Tkachenko direcionou algumas críticas à série da Netflix

Por Bruna Parrado 4 jan 2022, 20h06

A nova temporada de Emily em Paris já está disponível no catálogo da Netflix e deu o que falar nas redes sociais. Além de alguns fãs apontando certos preconceitos em relação à forma que as nacionalidades são retratadas, o Ministro da Cultura da Ucrânia também se posicionou contra esse aspecto do enredo.

Oleksandr Tkachenko não ficou muito feliz com o que viu na produção envolvendo a personagem Petra. A ucraniana, interpretada por Daria Panchenko, chega na história como colega da aula de francês de Emily e, durante um passeio com a protagonista, rouba roupas de um shopping, incentivando a amiga a fazer o mesmo.

Vendo a maneira que seu povo está sendo retratado, o Ministro da Cultura da Ucrânia se pronunciou sobre o assunto em seu canal no Telegram: “Em Emily em Paris temos a caricatura de uma ucraniana que é inaceitável. E também é ofensivo. É assim que os ucranianos serão vistos no exterior? Como quem rouba, quer ter tudo de graça, tem medo de deportação? Esse não deveria ser o caso”.

Não é de hoje que ele acompanha a produção, tendo visto a primeira temporada e a descrito como “uma série de entretenimento muito boa” – o que mudou com os novos capítulos.

Ashley Park como Mindy, Camille Razat como Camille, Lily Collins como Emily na série Emily em Paris
Cena da segunda temporada de Emily em Paris Carole Bethuel/Netflix

“Além disso, com a popularização de nossa cultura, europeus e americanos ouviram falar de nossos artistas e muito mais. Pelo menos sobre a maestra Oksana Lyniv, a tenista Elina Svitolina, a cantora Jamala, a estilista Vita Kin, mas isso provavelmente não é suficiente”, complementou ele. “E teremos que continuar lutando contra os estereótipos. Porque se nos anos 1990 e 2000, os homens ucranianos eram retratados principalmente como gângsteres, com o tempo isso mudou”, disse.

Continua após a publicidade

Publicidade