Ministério Público notifica Globo por representação racial em Segundo Sol

A novela é ambientada em Salvador, em que 76% dos habitantes se declararam pretos ou pardos, mas o elenco tem pouquíssimos atores negros.

Por Da Redação - 14 Maio 2018, 13h05

Segundo Sol ainda nem estreou e já está dando muito o que falar. Desde a divulgação do primeiro teaser da novela das 9, em abril, a trama causou revolta nas redes por ser ambientada em Salvador, cidade com a maior população negra fora da África, e, mesmo assim, ter pouquíssimos atores negros no elenco.

A Globo emitiu um comunicado em que admite que “temos uma representatividade menor do que gostaríamos e vamos trabalhar para evoluir com essa questão”, mas, aparentemente, só o comunicado não foi suficiente e o Ministério Público do Trabalho (MPT) resolveu intervir.

De acordo com a Veja, o MPT, por meio da Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade), enviou uma notificação recomendatória para que a emissora “respeite a diversidade racial” da cidade retratada na novela.

Na notificação, o Ministério pede que sejam feitas “adequações necessárias no roteiro e produção a fim de assegurar a participação de atores e atrizes negros e negras de forma que represente a diversidade étnico-racial da sociedade brasileira” em um prazo de dez dias. Se isso não acontecer, pode abrir uma ação contra a Globo.

“O MPT entende que o não espelhamento da sociedade nos programas televisivos gera a perpetuação da exclusão e reafirma estereótipos de limitação de espaços a serem ocupados pela população negra”, diz comunicado.

Continua após a publicidade
Publicidade