J.K Rowling é acusada de transfobia e afirma: “Não é ódio falar a verdade”

Essa não é a primeira vez que a autora da saga Harry Potter é acusada por ter falas preconceituosas

Por Izabel Gimenez - 7 jun 2020, 15h42

A escritora britânica J.K Rowling, conhecida pela saga Harry Potter, causou polêmica nas redes sociais depois de fazer novos comentários transfóbicos nas redes sociais. Desta vez, a autora escreveu um tweet, em tom de piada, de um artigo de opinião sobre “a criação de um mundo pós-Covid-19 mais igualitário para pessoas com menstruação”. 

Pra quem não sabe, o termo “pessoas com menstruação” serve para incluir tanto mulheres cisgênero, quanto homens trans. Com sarcasmo, J.K falou questionou a expressão. “Tenho a certeza que costumava haver um nome para essas pessoas. Alguém que me ajude. Wumben? Wimpund? Woomud?, escreveu a autora fazendo referência a palavra women, que em português significa mulher.

Continua após a publicidade

O comentário fez com que a escritora fosse novamente criticada pelos fãs da saga, principalmente o grupo LGBT+, que tentaram novamente explicar a existência de pessoas trans ou “não-binários”, que não se indentificam com nenhum dos gêneros, que também menstruam. Muitos compararam J.K com a personagem Dolores Umbridge e afirmaram que Hermione teria vergonha da autora. Rs!

Respondendo as críticas, J.K mostrou que está firme em não refletir sobre a situação. “Se o sexo não é uma realidade não há atração pelo mesmo sexo. Se o sexo não é uma realidade, a realidade vivida pelas mulheres no mundo é eliminada. Eu conheço e adoro pessoas transexuais, mas eliminar o conceito de sexo retira a capacidade de muitos para discutir aprofundadamente as suas vidas. Não é ódio falar a verdade”.

Qual sua opinião sobre o assunto? 

 

Continua após a publicidade
Publicidade