Emily em Paris: franceses se irritam com clichês “deploráveis” da série

Enquanto os críticos reclamaram dos estereótipos representados, muitos internautas parecem ter amado o universo da novidade Netflix

Por Amábile Reis - Atualizado em 7 out 2020, 20h04 - Publicado em 6 out 2020, 12h12
colecao-roupas-capricho-marisa
Divulgação/CAPRICHO

Na semana passada, a Netflix lançou Emily em Paris. A série gira em torno de Emily (Lily Collins), uma jovem americana que é enviada para trabalhar em uma empresa de marketing em Paris. Ao longo dos episódios, nós acompanhamos as confusões profissionais e amorosas da protagonista enquanto admiramos os cenários da ~cidade luz~ no plano de fundo.

Entre os críticos franceses, a série causou revolta. Eles acabaram classificando o seriado foi como “embaraçoso” e “deplorável” por contar com tantos clichês e estereótipos ao longo dos episódios. “É a imagem completamente errada de Paris. (…) Eu me pergunto por que os atores franceses aceitaram atuar na série“, afirmou o site AlloCiné.

A publicação Les Inrocks comentou que a Paris representada no original Netflix é tão real quanto a do desenho Ratatouille. Ouch! “Os roteiristas podiam ter hesitado por dois ou três minutos em colocar uma baguete embaixo do braço de cada francês ou até uma boina para distingui-los claramente“, apontou o site Sens Critique.

A rádio RTL explicou que não via tantos clichês sobre a capital francesa desde os episódios em Paris de Gossip Girl ou o final de O Diabo Veste Prada. Para fechar, o crítico Charles Martin expôs o descontentamento em ver todos os franceses sendo descritos como atrasados, preguiçosos e sexistas. “Nenhum clichê é poupado, nem mesmo o mais fraco”, ressaltou o expert.

Embora tenha irritado os críticos, os espectadores parecem ter apreciado os tais clichês de Emily em Paris. Confira algumas reações:

Até o autor de novelas Aguinaldo Silva rebateu o posicionamento e irritação dos franceses. “Os clichês que eles mesmos inventaram para atrair turistas”, escreveu no Twitter.

E aí, você apoia os clichês ou acha que o criador Darren Star exagerou?

Continua após a publicidade
Publicidade