Após mais de 10 anos, CL, ex integrante do 2NE1, encerra contrato com a YG | Capricho

Após mais de 10 anos, CL, ex integrante do 2NE1, encerra contrato com a YG

A agência, envolvida em diversos escândalos, confirmou a saída da cantora nesta sexta-feira (8)

Por Gustavo Balducci Atualizado em 8 nov 2019, 19h02 - Publicado em 8 nov 2019, 14h29

Nesta semana, uma chamada deixou os amantes do K-pop em estado de alerta. Segundo o Sports Today Korea, a cantora CL, ex integrante do lendário girl group 2NE1, finalmente encerrou suas atividades com a agência YG Entertainment. O relatório afirmou que as negociações entre ambas as partes não deram certo, pois a cantora recusou os novos termos exigidos para renovar o contrato. Ainda segundo a reportagem exclusiva, uma fonte da agência alegou que a renovação ainda estava em discussão. No enanto, nesta sexta-feira (8/11), a YG confirmou a saída da cantora com a seguinte nota:

“Olá. Esta é a YG Entertainment. Respeitando as opiniões um do outro, chegamos a um acordo com CL para encerrar seu contrato exclusivo conosco. Expressamos profunda gratidão aos fãs que mostraram apoio a CL, que brilhavam com suas atividades enquanto artista da YG. Na YG, CL estreou com o 2NE1 em 2009, e enquanto promovia como líder e rapper, ela liderou tendências em diversas áreas, incluindo música e moda. Ela também deixou uma marca importante na história do K-pop quando se tornou a primeira artista solo coreana a estrelar no chart Billboard Hot 100, em 12 de outubro de 2016. Pedimos que mantenham o interesse e apoiem as novas atividades de CL, a YG também irá torcer por ela com imutável confiança e carinho. Obrigado.”

  • CL, que nasceu Lee Chae-rin e debutou como líder do 2NE1 em 2009, sempre tentou incorporar o poder feminino à sua música para falar abertamente sobre muitas questões que a Coreia do Sul ainda enfrenta, como tabus devido ao conservadorismo que cerca grande parte dos costumes locais.

    A artista foi uma das primeiras entusiastas a falar sobre a causa LGBTQ+ no K-pop, fez parceria com Diplo, se uniu ao designer de moda Jeremy Scott e colaborou com o conterrâneo PSY no hit Daddy – além de co-estrelar a cerimônia de encerramento das Olimpíadas de Inverno na Coreia do Sul ao lado do EXO em 2018. O último respiro que recebemos de CL pelo selo da YG foi Good Bye, o álbum de despedida do 2NE1 (que sofreu disband em 2016) lançado em 2017. Desde então, a cantora segue em paralelo, mas nunca chegou a lançar seu álbum solo.

    Continua após a publicidade

    A garota nunca escondeu seu descontentamento com a negligência com que a YG tratou sua carreira. Há mais de dois anos sem lançar nada inédito pela gravadora, CL já abriu o coração ao divulgar uma carta contando como era difícil deixar seus fãs esperando por novidades. “Eu sei que vocês estão esperando e eu queria terminar o ano com um presente para vocês. Este vídeo é algo que eu gravei há mais de um ano, e, poderá ou não sair, mas sempre gostei dele e estava triste por não ter conseguido fazê-lo chegar até vocês”, disse a cantora se referindo ao trecho de All In, single vazado pela própria artista no final de 2017.

    A YG Entertainment se envolveu em uma série de escândalos que marcaram o começo de 2019. Em fevereiro, uma rede de prostituição, corrupção e crimes virtuais foi exposta na mídia pela jornalista Kang Kyung-Yoon, da rede SBS. Diversos idols, incluindo Seungri do grupo BIGBANG (agenciado pela YG), foram julgados pelo seu envolvimento nos crimes. Pouco tempo depois, o integrante B.I, líder do iKON, deixou o grupo após ser acusado de comprar drogas ilegais através de uma traficante em 2016. Em decorrência desses conflitos e das investigações voltadas diretamente à agência, Yang Hyun Suk, CEO da YG, renunciou a presidência para se afastar da confusão – e tudo isso parece ter afetado na extensão do contrato de CL. Atualmente, a YG segue na ativa com outros nomes de peso, incluindo BLACKPINK, GDRAGON, que acabou de retornar do serviço militar, e WINNER.

    Han Myung/Getty Images

    Assim como em todos os demais setores do entretenimento, a cena do K-pop muitas vezes não escapa do machismo. A falta de representatividade ou de direitos igualitários entre artistas femininos e masculinos ainda é um problema recorrente no ritmo, mas como a CH já contou, algumas cantoras vêm se empoderando nos últimos tempos para mostrar que estão mais do prontas para conquistar um novo momento dentro do seu habitat natural.

    HyunA, que sempre foi confrontada pela Coreia do Sul por mostrar ousadia nos palcos e nas letras, retornou triunfante este mês após ter sido expulsa da antiga gravadora em 2018. O motivo? Tornar público seu relacionamento de dois anos com outro idol da mesma agência. Na época, a saída da cantora até chocou o coração dos fãs, mas, o estrago aconteceu mesmo nas ações da Cube Entertainment, que despencaram em mais de 6% logo após a empresa divulgar a demissão.

    Já estamos na torcida para que a diva CL ganhe um futuro parecido e volte a brilhar muito em breve!

    Continua após a publicidade
    Publicidade