5 séries que perdemos: 30 Rock, Fringe, Private Practice, Ben & Kate e Don’t Trust the B!

Por Da Redação Atualizado em 27 jul 2016, 11h01 - Publicado em 1 fev 2013, 17h43

Não anda nada fácil para quem curte séries. Até meu editor está nesse drama para adotar coisas novas. Só nestas últimas duas semanas, 5 séries bem queridas acabaram ou foram canceladas. Vamos ao chororô.

Liz ♥

30 rock – Ontem a série de Tina Fey, possivelmente uma das comédias mais sólidas dos últimos anos, encerrou sua jornada. Foi legal ver a última briga entre Liz Lemon e Jack (e a reconciliação, é claro), depois de saber que os personagens estão vivos por aí, se divertindo. Na verdade, a série não trouxe uma conclusão apenas no último episódio, já havia semanas que os elementos do fim vinham se costurando (como o casamento de Lemon). Agora sim, podemos fechar com chave-de-ouro o ciclo. E aguardar o que Tina Fey ainda vai aprontar por aí, “desempregada”.

 

Continua após a publicidade

Addison sumida

Private Practice – Depois de 6 anos, a série-filhote de Grey’s foi tirada dos aparelhos que a mantinham viva, pobrecita. O último episódio teve como grande estrela Naomi, que retornou para uma participação especial e acabou reunida com o ex-marido (e ex-namorado da melhor amiga), Sam. Amelia e o novo namorado se mantiveram felizes para sempre, assim como Cooper & Charlotte & Mason & Trigêmeos. Violet escreveu seu novo livro – entitulado Private Practice – e Sheldon curtiu os últimos do momento de vida da namorada. Ah, Addison, sabem? A protagonista? Casou com Jake nos 5 minutos iniciais do episódio. Ou seja: faltou emoção, gente. Justo numa série da Shonda Rhimes.

 

Continua após a publicidade

Chora, James. É karma acabar a sua série e a do Joshua juntinhas, 10 anos depois de Dawson’s Creek.

Don’t Trust the B—- in Apartment 23 – A novata que prometia uma nova boa safra de risadas na TV foi cancelada por causa de baixa audiência, no meio da 2ª temporada. Ainda existem 8 episódios que não foram ao ar, mas ninguém sabe quando (e se) irão. A gente fica sem saber o que aconteceu com a B e James Van Der Beek – o de mentirinha.

 

Continua após a publicidade

Fringe – J.J. Abrams, produtor da série responsável também por Lost, foi quem melhor descreveu o fim da série: 5 anos (mais precisamente, 100 episódios) de esquisitices de partir o coração. O fim de Fringe, mais do que explicar todos os casos excêntricos e cientificamente ousados e/ou fantasiosos, amarrou o propósito humano de sua história perfeitamente. É uma história sobre esperança e perdão.

a tulipa branca, o símbolo de perdão do Walter

Além disso, o series finale trouxe de volta elementos queridos em Fringe: Olivia turbinada em Cortexiphan, Walter com pequenas maluquices científicas, a vaca Gene, Astrid sendo chamada pelo seu verdadeiro nome, Peter tendo um momento emocionante com o pai, o glyph (aqueles símbolos que aparecem na tela entre comerciais) da mão com 6 dedos finalmente revelado. Nota 10!

tchau, gente!

Ben & Kate – Outra fofa que se foi. Uma série cheia de potencial, principalmente por causa da menininha Maddie, não ganhou outra chance de apresentar uma performance melhor de audiência. Uma pena. Não temos notícias sobre o destino dos episódios já gravados, como aconteceu com Don’t Trust the B. Confesso que ficarei com saudade da pequerrucha.

 

Continua após a publicidade

De qual vocês sentirão mais saudade, meninas? Vamos tricotar nos comentários.

Beijo 😉

Continua após a publicidade
Publicidade