Entenda por que o voto eletrônico é seguro e está longe de ser fraudado

Talvez você não saiba disso, mas o nosso sistema é referência para o mundo todo

Por Da Redação Atualizado em 2 jun 2022, 17h21 - Publicado em 2 jun 2022, 12h21
Reforçar a democracia é não só confiar no sistema eleitoral como também nos órgãos e instituições que garantem o seu bom funcionamento.
Reforçar a democracia é não só confiar no sistema eleitoral como também nos órgãos e instituições que garantem o seu bom funcionamento. SOPA Images / Colaborador/Getty Images

Todo mundo já sabe que esse ano é ano de eleições presidenciais – a gente até fez uma super campanha para incentivar a nossa galera a votar em outubro – e entre a corrida eleitoral e a polarização de direita e esquerda, dúvidas estão sendo jogadas sobre a veracidade do sistema eleitoral brasileiro

Talvez você não saiba disso, mas o nosso sistema é referência para o mundo todo. Quando o assunto são eleições, estamos muito avançados em relação a algumas das maiores potências mundiais, como os Estados Unidos, que ainda fazem eleições majoritariamente com cédulas de papel. 

No quarto vídeo do projeto editorial #CHnaEleição, a estagiária Bruna Nunes explica o funcionamento da urna, por quem ela foi desenvolvida e todos os detalhes de como acontece a apuração dos votos.

Assista ao vídeo, que a gente te explica:

Você que acompanha a CAPRICHO já sabe porque política é importante, o que é o voto consciente e como ele pode te ajudar a escolher candidatos; e como usar as redes sociais para falar de política e o quanto seu repost pode, sim, eleger um presidente.

Mas nós sabemos: o público entre 16 e 24 anos apresenta a menor taxa de interesse pelas eleições, segundo o Instituto Datafolha. Apenas 31% dos entrevistados nessa faixa etária afirmaram ter “grande” interesse sobre o assunto. Essa é uma oportunidade de se conectar com o que está acontecendo no país.

 

Continua após a publicidade

Publicidade