8 verdades e mentiras sobre a camisinha feminina

Você sabia que o preservativo feminino tem mais prós do que contras?

Por Isabella Otto - Atualizado em 6 dez 2019, 15h10 - Publicado em 6 dez 2019, 15h03

Antes de tudo, você precisa entender duas coisas: a primeira é que o uso do preservativo é necessário ontem, hoje, amanhã e sempre; a segunda é que, apesar de menos de 1% dos preservativos comercializados no mundo serem femininos, a camisinha feita para nós, meninas, é tão segura quanto a masculina. E foi uma grande conquista para as mulheres!

A ginecologista Fabiane Vargas nos ajudou a responder as oito principais dúvidas que recebemos de nossas leitoras sobre o assunto . Mas antes de começar, segue um sábio conselho dado pela doutora: “comprar camisinha é igual a comprar absorvente. As primeiras vezes são difíceis, mas, depois, a gente se acostuma e até pede a opinião do atendente!”, brinca.

1. Qualquer menina pode usar.
MENTIRA. Para usar a camisinha feminina a menina precisa, obrigatoriamente, já ter tido a primeira experiência sexual com penetração. Isso porque o produto precisa ser introduzido na vagina o mais fundo possível. O processo é bastante parecido com a colocação do absorvente interno.

2. É difícil colocar a camisinha feminina.
MENTIRA. Colocar a camisinha é mais fácil do que parece. De início, o processo pode ser desconfortável, pois exige um pouco de prática, mas depois já fica mais fácil. Ao abrir o pacotinho, identifique o lado fechado da camisinha (ela se parece com um saquinho plástico). Com a ajuda de um ou dois dedos (o indicador e o médio), vá empurrando delicadamente a camisinha para dentro da vagina, com a parte aberta virada para fora. Na hora de retirar, é importante dar várias voltas na ponta da camisinha para não deixar a secreção escapar.

3. A camisinha feminina tem mais prós do que contras.
VERDADE. Além de ser feita de um material mais fino que o látex do preservativo masculino, e anti-alérgico, ela proporciona uma maior proteção da vulva, por cobrir grande parte da genitália externa feminina. Além disso, a camisinha feminina dá mais autonomia à garota e eleva a sua autoestima, por fazê-la sentir-se mais dona do próprio corpo.

4. Se o menino usar a camisinha masculina e a menina a feminina, a proteção dobra.
MENTIRA. E em caps lock mesmo! De jeito maneira você pode usar a camisinha feminina se o garoto já estiver usando a masculina. E a recíproca também é verdadeira. Ou é uma ou é outra. Se usadas juntas, além do desconforto, as camisinhas podem rasgar por conta do atrito. Nesse caso, a tal proteção redobrada (que, na verdade, nunca existiu) vai definitivamente por água abaixo.

5. A camisinha feminina pode machucar.
MENTIRA. Se colocada com cuidado, não há o menor perigo! Além do mais, a menina acaba tendo um contato muito maior com parte íntima ao usar a camisinha feminina, conhecendo melhor essa região do corpo, perdendo a vergonha de se tocar e até deixando o “nojo” de lado.

6. Ela é mais cara do que a masculina.
VERDADE. Por ter uma procura menor, o valor de mercado da camisinha feminina acaba aumentando. É possível encontrar marcas de modelos masculinos a partir de R$ 3. Entretanto, os modelos mais baratos da feminina custam, em média, R$ 17. Mas vale lembrar que ambas estão disponíveis em postos de saúde.

7. Você não precisa ter vergonha de sugerir o uso da camisinha feminina.
VERDADE. A garota deve ter vergonha de NÃO sugerir ou não carregar uma camisinha na bolsa; não de carregar um item tão fundamental quanto esse para a manutenção da saúde dela e do parceiro. Uma mulher pode e deve tomar a iniciativa e se prevenir sempre.

8. Menina que anda com camisinha feminina na bolsa é vulgar.
MENTIRA. E vamos repetir para reforçar bem: M-E-N-T-I-R-A. Andar com camisinha na bolsa não significa que você “quer dar”, como muita gente desinformada adora dizer. Simplesmente significa que você é precavida.

Publicidade