Uma a cada quatro brasileiras não tem acesso a absorventes, diz pesquisa

Segundo relatório Livres para Menstruar, 213 mil meninas que menstruam e frequentam a escola não têm acesso a um banheiro em condições de uso

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 23 mar 2021, 09h21 - Publicado em 22 mar 2021, 18h34

Uma em cada quatro adolescentes não tem acesso a um pacote de absorventes quando menstrua, diz o relatório Livre Para Menstruar, feito pelo movimento Girl Up com apoio da Herself. A falta de itens básicos de higiene tem muitos impactos na vida dessas jovens, incluindo consequências na vida escolar. “Muitas meninas faltam às aulas todos os meses por não ter absorvente”, explica Beatriz Diniz, de 19 anos, que é uma das líderes do Girl Up para a Folha.

Uma a cada quatro brasileiras não tem acesso a absorventes, diz pesquisa
Volanthevist/Getty Images

Além disso, segundo a pesquisa, 17% das meninas até 19 anos não acessam a rede geral de distribuição de água. Das 7,5 milhões de meninas que menstruam e estão na escola, 213 mil não têm banheiros em condição de uso nas instituições que frequentam.

Diante desse cenário, muitas meninas são obrigadas a usar soluções alternativas, como meias velhas, folhas de jornais e sacolas plásticas. A falta dos artigos, saneamento básico e acesso a banheiro configuram a condição de pobreza menstrual, explica o Projeto Luna, uma campanha idealizada por Victória Dezembro com o objetivo de ajudar as mulheres a terem acesso a esses itens básicos para a higiene menstrual.

Para combater o problema, é preciso quebrar o tabu que ainda existe sobre a menstruação e lembrar que mais de 30 milhões de meninas e mulheres menstruam e todas merecem ter dignidade menstrual. Como solução, o relatório aponta a criação e ampliação de políticas públicas, acesso a diversos produtos menstruais e investimento em educação menstrual.

Continua após a publicidade

Publicidade