Teoria dos Setênios explica os ciclos e as transformações da vida; entenda

Criada pelo filósofo Rudolf Steiner, ela mostra como a vida é cíclica e como certas crises existenciais são as mesmas para todo mundo

Por Bruna Nunes Atualizado em 1 jul 2022, 18h40 - Publicado em 2 jul 2022, 10h03
Arte em tons marrons, com o número sete desenhado no centro
Lan Qu/Getty Images

Você já ouviu falar na Teoria dos Setênios? Segundo ela, a cada sete anos, a vida passa por transformações significativas. Sim, isso pode parecer um tanto quanto chocante de primeira, mas a ideia se baseia na chamada antroposofia, que, traduzindo do grego, significa “conhecimento do ser humano”.

O conceito, criado pelo filósofo Rudolf Steiner, conclui que sete anos é o tempo que levamos para absorver todos os aprendizados de uma fase da vida, e assim enfrentarmos os desafios que podem surgir no ciclo seguinte. De acordo com a teoria, o ser humano tem três fases de evolução e amadurecimento, e cada fase conta com três setênios [ciclos que duram sete anos].

1º Fase: Setênios do Corpo

Do 0 aos 7 anos

Também conhecido como “O Ninho”, o primeiro Setênio é o contato inicial do indivíduo com a vida. Neste período, as primeiras descobertas são feitas e o ser humano começa a desenvolver corpo e mente. Os primeiros traços da nossa personalidade começam a ser moldados a partir da infância. Um aspecto importante desta fase é que muito do que aprendemos é resultado de observar e imitar as coisas ao redor.

Dos 7 aos 14 anos

Não à toa, o segundo Setênio é conhecido como “Noção de Pertencimento”. É neste momento que cada indivíduo percebe como o mundo é uma experiência única para cada um, e é quando as primeiras cobranças e regras começam a fazer diferença. Aqui, as emoções se despertam de maneira mais pontual, nos preparando para a entrada na juventude.

Dos 14 aos 21 anos 

O nome do terceiro Setênio o define bem: “Crise de Identidade”. Aqui, começam a surgir os questionamentos pessoais como “Quem sou eu?” e “Qual é o meu propósito de vida?”. É nesta hora que começamos a buscar liberdade para encontrar nosso lugar no mundo – que finalmente se mostra um universo infinito de possibilidades – e que temos as famosas crises da adolescência, sabe?

2º Fase: Setênios da Alma

Dos 21 aos 28 anos

Segundo a teoria, é no quarto Setênio, chamado de “O Eu”, que começamos a colocar os aprendizados do ciclo anterior em prática para conquistar a tão sonhada liberdade. Acontece que essa sede de conquistas pode gerar muita ansiedade e frustração, e motivar fortes crises emocionais. Portanto, é uma das fases mais desafiadora!

Dos 28 aos 35 anos

Afinal, o que significa ser adulto? Se na adolescência passamos pela fase das crises de identidade, é no quinto Setênio que as crises existenciais batem com força. A saída da juventude para a vida adulta pode ser um baque e tanto! Sabe a famosa “crise dos 30”? Então… Um dos pontos principais do ciclo é organizar os aprendizados coletados durante todos esses sete anos, caso contrário, a transição tende a ser mais confusa ainda.

Continua após a publicidade

Dos 35 aos 42 anos 

Normalmente, depois dos ciclos anteriores, aqui o indivíduo já está com corpo e mente formados, e também com uma possível estabilidade sobre sua vida (já tem um emprego, por exemplo). Mas justamente por ter passado por tantas fases, vem aí a crise do sexto Setênio: a de identidade! O principal pensamento deste momento é: “E agora? O que eu tenho para fazer?”. Afinal, depois de conquistar seu espaço no mundo, como ser autêntico e fugir da estagnação da rotina?

+ Quer entender o que está acontecendo no Brasil neste ano de eleição? Vem com a gente no CH na Eleição!

3º Fase: Os Últimos Setênios 

Dos 42 aos 49 anos 

É a parte da vida que mostra o quanto os anos anteriores serviram de aprendizado e para moldar quem somos, de fato. Pode ser que, ao mesmo tempo em que o indivíduo sinta vontade de viver tudo que deixou para trás, sinta também um certo receio de sair da zona de conforto que criou sobre si mesmo.

Dos 49 aos 56 anos

Finalmente, é a hora da aceitação! Você já sabe quem é e qual é o seu lugar no mundo, tanto que muitas pessoas podem ter um despertar para se envolver em causas mais humanitárias. Mais do que nunca, o indivíduo aprende a ouvir o mundo ao seu redor! O que inclusive pode ajudar a mandar embora o sentimento de velhice, pois isso nos coloca em movimento.

Dos 56 aos 63 (e adiante) 

É o último Setênio da teoria de Steiner. Calma, isso não significa que sua vida acaba aos 63 anos. (risos nervosos) Na verdade, só significa que a estagnação chega. É indispensável cuidar da saúde mental durante este período, pois o sentimento de velhice pode fazer com que arrependimentos de coisas que deixamos para trás apareçam.

gif da Monica Geller, de Friends, dizendo sete
Tenor/Reprodução

O significado do número 7

Caso você esteja se perguntando “Tá, mas por que sete anos?”, saiba que, em muitas culturas, o 7 é um número muito forte energicamente. Na Bíblia, por exemplo, ele aparece mais de uma vez: o mundo foi feito em sete dias, existem sete pecados capitais, e por aí vai.

Além do mais, até matematicamente falando esse número é considerado perfeito, pois é o único que não é múltiplo nem divisor de nenhum outro algarismo.

Claro que a Teoria dos Setênios não explica o sentido da vida, mas nos ajuda a entender que não estamos sozinhos nas crises que podem surgir pelo caminho. Afinal, elas fazem parte das fases de nossa existência.

Uma hora, as coisas se ajeitam e se transformam em aprendizados. Portanto, lembre-se de que a vida é cíclica, e que tudo tem seu tempo!

Continua após a publicidade

Publicidade