Técnica pede demissão após time contratar goleiro Bruno: “Revoltada”

Rose Costa, que comandava a equipe feminina do Rio Branco, disse que contratação do goleiro "é quase um reconhecimento pelo crime que cometeu"

Por Isabella Otto - Atualizado em 30 jul 2020, 20h08 - Publicado em 30 jul 2020, 15h30

No último domingo (26/7), o time de futebol Rio Branco, do Acre, anunciou a contratação de Bruno Fernandes, mais conhecido como goleiro Bruno, condenado pelo homicídio da ex-namorada Eliza Samúdio em 2010. O atleta foi solto antes do tempo e cumpre desde então pena em regime semiaberto. O diretor do clube, Neto Alencar, deliciou-se com a contração e disse que ela foi uma das “maiores da história”.

Eu não tenho problema em ser mulher…Prazer, sou Rose Costa, profissional de Educação Física, CREF 183-AC,…

Posted by Rose Costa on Wednesday, July 29, 2020

Continua após a publicidade

Assim que soube da decisão, a técnica da equipe feminina do Rio Branco, Rose Costa, pediu demissão do cargo, por não compactuar com a admissão. Em entrevista ao UOL, para a repórter Talyta Vespa, a treinadora disse que se sente triste, revoltada e sem vontade de continuar no clube.

“Eu não acredito que a justiça tenha sido feita. Acho, sim, que a ressocialização é importante, mas será que em sete anos de prisão ele não teve tempo de aprender outro tipo de trabalho? Assumir a posição do principal goleiro da principal equipe de um clube é se colocar como exemplo, principalmente, para atletas da categoria de base. É quase um reconhecimento pelo crime que cometeu“, afirmou. Para Rose, continuar à frente da equipe, mesmo que da feminina, seria compactuar com a decisão dos chefões do clube e, consequentemente, manchar sua história no esporte. “Solidariedade e sororidade vão muito além da prática esportiva. (…) Nunca foi e nunca será só futebol”.

Em nota de repúdio, o movimento feminista do Acre e das mulheres da Amazônia, liderado por Lidiane Cabral, também se posicionou sobre a contratação: “Neste momento de indignação, nós, mulheres dos movimentos sociais organizados, nos juntamos às demais instituições da sociedade civil, dirigidas e apoiadas por homens e mulheres, torcedores e instituições democráticas legalmente constituídas, para exigir que a diretoria do Rio Branco Football Club reveja, imediatamente, a decisão da contratação do goleiro Bruno. Exigimos, ainda, que sua diretoria venha a público, diante da sociedade e de sua valorosa torcida, pedir desculpas pela afronta que fez“. O Acre é o estado do Brasil com maior índice de feminicídio.

Nas redes sociais, até o momento, o goleiro Bruno ainda não se pronunciou sobre as polêmicas, e segue postando sobre sua nova vida e história, e sendo aclamado pelos admiradores e fã-clubes dedicados a ele.

Já segue a CH nas redes sociais?
INSTAGRAM | TIKTOK | TWITTER | FACEBOOK | YOUTUBE

Publicidade