Simone Biles relata caso de abuso: ‘sou uma das sobreviventes’

Ginasta afirma que também foi uma vítima do ex-preparador físico Larry Nassar: 'não tenho mais medo de contar minha história'!

Por Isabella Otto - Atualizado em 16 jan 2018, 13h20 - Publicado em 16 jan 2018, 13h16
Promoção CAPRICHO Volta às Aulas 2018
Divulgação/CAPRICHO

A ginasta americana Simone Biles roubou a cena nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, e saiu do Brasil com várias medalhas de ouro. Talentosa, competente, profissional, alegre, criativa, fã do Zac Efron… Na última segunda-feira, 15, porém, conhecemos um outro lado da atleta: a Simone que foi abusada sexualmente.

Frazer Harrison/Getty Images

No Twitter, a jovem de 20 anos relatou o caso envolvendo um ex-preparador físico da equipe de ginástica americana. “Eu também sou uma das muitas sobreviventes que foram abusadas sexualmente por Larry Nassar. Por favor, acreditem quando eu digo que foi muito mais difícil dizer essas palavras antes em voz alta do que está sendo colocá-las agora no papel. Tiveram muitas razões para que eu ficasse relutante em compartilhar minha história, mas hoje eu sei que não foi minha culpa”, escreveu na rede social.

A ginasta ainda afirmou que o cara era “de confiança da equipe” e realizava consultas “especiais” com várias ginastas. Todas tinham muito medo de denunciar e acabar afastadas e/ou sendo julgadas. Parece que a palavra do homem ainda tem muito mais peso em nossa sociedade – mas isso está mudando.

Aliás, foi essa mudança que fez Biles finalmente denunciar o crime. O movimento #MeToo, que incentiva mulheres a falarem sobre casos de abuso sexual sofridos, encorajou a ginasta a dar seu depoimento. “Muitos de vocês me conhecem como uma garota alegre, risonha, enérgica. Mas ultimamente eu tenho me sentido meio quebrada e tenho tentado silenciar a voz gritante na minha cabeça. Eu não tenho mais medo de contar minha história(…) Eu não vou deixar que nenhum homem, ou qualquer outra pessoa que o encubra, roube meu amor e minha alegria“, afirmou.

A campeã olímpica ainda lamenta o fato de precisar, em breve, voltar para o mesmo local em que foi abusada e reviver tais memórias. “É extremamente difícil relatar essas experiências e parte meu coração pensar que eu terei que treinar no mesmo lugar em que fui abusada se quiser realizar meu sonho de competir nas Olimpíadas de Tóquio em 2020”. Lary Nassar, em novembro de 2017, foi julgado depois de ser acusado de assédio por várias ginastas americanas. Durante as investigações, um policial federal encontrou mais de 37 mil imagens de pornografia infantil no computador pessoal do médio. Em dezembro, o americano confessou os crimes e foi condenado a 60 anos de prisão.

Na reportagem abaixo, produzida pela rede ABC, é possível ver o momento exato em que o homem se declara culpado.

No final de seu relato, Simone Biles ainda pediu privacidade nesse momento tão delicado. Fãs, seguidores e garotas de todo o mundo mandam mensagens de apoio à atleta, que prometeu nunca mais ficar calada.

Continua após a publicidade
Publicidade