Sabia que só de pensar em café você já fica mais concentrada?

Além disso, sentir o cheirinho da bebida também já te deixa mais acordada. Que doideira, né?!

Por Gabriela Junqueira - 21 abr 2020, 10h01

O café é uma das bebidas mais populares do mundo! Pra muita gente, tomar um cafezinho de manhã e depois do almoço é um hábito. Por ter cafeína, a bebida também é requisitada na hora dos estudos e do trabalho, para espantar o sono. Porém, de acordo com um estudo realizado por cientistas canadenses e australianos, nem é preciso tomar o café para sentir seus efeitos. Só de pensar na bebida ou de sentir o cheirinho dela, os níveis de concentração e foco da pessoa já aumentam.

Para Eugene Chan, professor da Universidade de Monash, na Austrália, e Sam Sanglio, da Universidade de Toronto Scarborough, no Canadá, a explicação não é apenas fisiológica. Ela tem também um caráter psicológico! Segundo Chan, “existe algo chamado ‘nível de construção mental’, que sugere que as pessoas podem pensar e processar informações em um nível amplo ou mais particular.”.

Para exemplificar como os níveis de construção mental funcionam, Sam Sanglio citou uma sala de aula. Ao se imaginar sentado vendo uma aula, o que vem à sua cabeça? Em como assiste à aula ou em como se senta na cadeira? “O primeiro é mais abstrato, com foco nas razões pelas quais você está na sala, mas o segundo é mais concreto, com foco em como você se sentaria na sala de aula. O modo como você representa mentalmente qualquer comportamento ou atividade pode mudar a motivação para realizá-lo“, explica.

O estudo constatou que os efeitos psicológicos foram sentidos principalmente em indivíduos da Austrália, Canadá e Estados Unidos. “Com participantes da China, Japão e Coréia, não houve diferença entre as sugestões de café e chá na excitação ou na interpretação mental. Nesses países, apesar da crescente influência das tendências ocidentais do café (pense na proliferação da Starbucks na China), o chá ainda é a bebida mais dominante“, disse o pesquisador. 

café, starbucks
GIPHY/Reprodução

“Acreditamos e sabemos que o café é um produto estimulante e, portanto, somente essa crença ou expectativa conduz os efeitos que encontramos”, conclui Chan. Ou seja, de certa maneira, a disposição e o ânimo causados pelo café também surgem da ideia pré-estabelecida que temos sobre a bebida. Mas é claro que ingeri-la traz mais efeitos, ok?

E aí, vai um cafezinho pra acordar?

Continua após a publicidade
Publicidade