Quer comer menos carne sem cortá-la da rotina? Conheça o flexitarianismo!

Saiba mais sobre o estilo de vida que é também conhecido como semivegetarianismo.

Por Gabriela Junqueira - Atualizado em 26 jan 2020, 11h03 - Publicado em 26 jan 2020, 10h03

Se você está tentando diminuir o consumo de carne, talvez se identifique com o flexitarianismo. O termo, uma combinação das palavras em inglês “flex” e “vegetarian”, representa um estilo de vida seguido por aqueles que estão tentando diminuir o consumo de carne, mas, vez ou outra, ainda consome alguma proteína animal. Por exemplo: a pessoa já cortou a carne vermelha, mas não resiste a um salmãozinho quando vai comer num restaurante japonês.

Getty Images/Getty Images

No Brasil, segundo pesquisa do IBOPE de 2018, 30 milhões de brasileiros, ou seja, 16% da população, se declaram vegetarianos. O número dobrou em comparação a 2012! A onda flexitariana também cresceu nos últimos tempos e é fácil compreender o porquê. Segundo uma pesquisa realizada pelo Datafolha em 2017, aproximadamente 63% da população brasileira desejava reduzir o consumo de carne.

 

Os adeptos do movimento tendem a reduzir as porções de proteína animal consumidas nas refeições: comendo carne, vermelha ou branca, de duas a três vezes por semana ou até mesmo apenas em ocasiões especiais, como em feriados como o Natal. A adoção desse regime alimentar se alinha ainda a assuntos que vem ganhando cada vez mais destaque, como, por exemplo, os impactos negativos da indústria da carne e do exagerado consumo do alimento para o meio ambiente e para a saúde do seres humanos.

Continua após a publicidade
O músico Paul McCartney é um dos principais embaixadores da campanha Meat Free Monday (Segunda Sem Carne, em português). Reprodução/Reprodução

Se interessou pelo assunto? Confira, então, alguns projetos que podem ser um ponto de partida para você que quer se tornar flexitariano (por ora, como ponto de partida para uma dieta veggie ou permanentemente):

  • 21 Dias Sem Carne
    O objetivo desse desafio é mostrar que é viável, sim, cortar a carne do cardápio e que um prato sem proteína animal não é sem graça. No próprio site do projeto é possível encontrar receitas fáceis, além de entrar em contato com um time de nutricionistas para esclarecer as suas dúvidas.
  • Segunda Sem Carne
    De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira, a Segunda Sem Carne brasileira é a maior do mundo! A iniciativa, que é apoiada por empresas e até por órgãos e instituições governamentais, ofereceu 62 milhões de refeições em 2018. Entre os motivos para diminuir o consumo de carne, o projeto aponta que uma alimentação focada em vegetais ajuda na prevenção de doenças crônica, que “vacas, galinhas, porcos e peixes são idênticos a cães e gatos no quesito sofrimento” e que, deixando de consumir alimentos de origem animal um dia por semana, ajuda a economizar muuuita de água.
  • EscolhaVeg
    Além de disponibilizar receitas práticas, o projeto Escolha Veg também tem um blog dedicado a compartilhar estudos, esclarecer dúvidas e contar histórias de vegetarianos e veganos, como a da ultramaratonista Silvia Novais de Matos.

Como é sua relação com a carne? Conta pra gente!

Publicidade