Saúde mental: 9 práticas simples de autocuidado para manter em casa

Self-care não é só sinônimo de skincare. E também não é egoísmo.

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 21 Maio 2020, 18h00 - Publicado em 19 abr 2020, 10h04

O selfcare, ou, se preferir, o autocuidado, é uma palavrinha que vem ganhando força dentro do espaço digital e é resultado de um conjunto de hábitos e práticas que são positivos para a saúde e o bem-estar físico e emocional.

Autocuidado não é egoísmo. Камилла Хайруллина/Getty Images

Cada pessoa tem uma necessidade diferente e, por isso, não existe uma receita pronta. O que pode ser positivo para um, como praticar ioga, pode não ser tão interessante para outro. Para descobrir o que pode ser mudado na sua rotina, é preciso primeiro observar o que você tem feito e sentindo. Só assim rola se redescobrir e replanejar. Para Laura Vanderkam, autora do livro Off the Clock: Feel Less Busy While Getting More Done, é importante fazer as seguintes perguntas: “o que faz você se sentir inteira e energizada? Como incluir essas atividades em sua vida?”

Aqui vão algumas dicas:

1. Medite durante a manhã por 10 minutinhos
“Ao meditar, você se conecta consigo, cria mais paciência, tem discernimento perante as dificuldades do dia a dia. Meia hora de meditação relaxa tanto quando quatro horas de sono bem dormidas”, disse a terapeuta Adriana Capirabe para o site Metrópoles. Se você está começando a meditar, separar 10 ou 15 minutos pela manhã, logo depois de acordar, pode ser o suficiente para começar. Foque na sua respiração durante esses minutos. Também existem vários vídeos guiados no YouTube e aplicativos. Rola também meditar ouvindo música, por que não?!

selfcare, meditação
nadia_bormotova/Getty Images

2. Tome cuidado com o excesso de informações
Não se culpe por sentir que precisa se desconectar. É preciso tomar cuidado e selecionar a quantidade de notícias que se consome diariamente, assim como a quantidade de tempo que passa nas redes sociais. Caso contrário, você pode sofrer uma “infoxicação”. O termo foi criado no final dos anos 90, em 1996, pelo físico Alfons Cornella, para definir esse fenômeno da internet, que possibilita o acesso a uma quantidade de informações maior do que somos capazes de processar.

3. Pratique o unfollow
As rede sociais podem despertar uma sensação ainda maior de cobrança, por isso é importante prestar atenção no que o tempo online nos faz sentir. Se o conteúdo que um perfil posta te deixa pra baixo, deixe de segui-lo e procure contas que lhe deixem bem, despertem sua vontade de criar e te façam rir.

Continua após a publicidade

4. Volte a ler um livro
Sabe aquela leitura que você parou porque estava sem tempo? Que tal retomá-la? Um livro não tem notificações de cinco em cinco minutos nem tantas distrações, como aplicativos. Esse pode ser um bom exercício para trabalhar a concentração!

  • 5. Mexa-se
    Movimentar o corpo não é sinônimo de praticar abdominal ou fazer agachamentos. Você até pode fazer esses exercícios, mas existem outras opções. Dançar na frente do espelho, tentar aprender uma coreografia do TikTok, pular corda, fazer alguns exercícios de ioga, tudo isso vale! Durante o dia a dia, gastamos mais energia, por exemplo, caminhando até a escola ou a faculdade, descendo e subindo escadas, enquanto dentro de casa temos uma tendência a nos movimentarmos menos. Esse acúmulo de energia pode trazer consequências nada positivas para a nossa rotina, como estresse, insônia e ansiedade.

    6. Tome um banho relaxante
    Separe seus óleos essenciais, acenda uma vela, coloque uma música calma e aproveite o banho. Se não tiver tudo isso, só coloque uma música mesmo que já ajuda. Use esse momento para se desconectar de pensamentos ruins e se ligue no presente: sinta a água caindo, aproveite a temperatura dela, foque no cheiro do seu sabonete, lave todo o corpo com carinho.

    7. Coloque no papel
    Escrever pode ser uma maneira de colocar em ordem pensamentos e sentimentos, e assim encontrar mais maneiras de lidar com eles. Ponha no papel o que está se passando pela sua cabeça, por mais que pareça confuso. Existem muitos exercícios para quem não sabe por onde começar: fazer um diário, escrever sobre três coisas positivas ao acordar e antes de dormir, anotar os próprios sonhos, e por aí vai. 

    GIPHY/Reprodução

    8. Tente manter uma rotina de sono regulada
    Em comparação há 40 anos, os paulistanos estão dormindo uma hora a menos do que nos anos 70, de acordo com a Superinteressante. O sono vem sendo colocado em segundo plano e a meta sempre é render mais, porém, o dia continua com 24 horas. A importância do sono não pode ser esquecida: é durante essas horas que ocorre a manutenção de sistemas do nosso organismo, a produção de hormônios e a consolidação da memória.

    9. Alimente-se bem
    A falta de rotina pode afetar nossa alimentação, que fica desregulada. Em períodos de ansiedade, a gente acaba comenda mais besteiras mesmo e em maior quantidade. Não se prive de coisas que sente vontade, mas tente comer tudo com moderação e manter horários para fazer as refeições. Isso é muito importante para manter o organismo na frequência certa e com a imunidade alta.

    Ah! E não se esqueça: o autocuidado não deve se transformar em uma cobrança nem em algo que te cause mais estresse, combinado? Busque escutar seu corpo e focar nas práticas que são boas para você. Fica bem! <3

    Continua após a publicidade
    Publicidade