Polícia prende suspeito de participar do assassinato de Marielle Franco

O homem preso é acusado de matar Carlos Alexandre Pereira Lima, colaborador do vereador Marcello Siciliano.

Por Amanda Oliveira 30 Maio 2018, 16h28

Na tarde da última terça-feira, 29, policiais da Delegacia de Homicídios da Capital, no Rio de Janeiro, prenderam um homem suspeito de participar no assassinato da vereadora Marielle Franco. Thiago Bruno Mendonça, conhecido como Thiago Macaco, é acusado de matar Carlos Alexandre Pereira Maria, apelidado de Cabeça, que era colaborador do vereador Marcello Siliciano. Carlos foi morto no dia 8 de abril deste ano e teria ocorrido como “queima de arquivo” para encobrir o assassinato de Marielle, segundo reportagem do jornal O Globo.

Marielle Franco e Anderson Gomes foram assassinados no dia 14 de março. Reprodução/Reprodução

Thiago Macaco é citado no depoimento de uma testemunha-chave do caso de Marielle Franco e Anderson Gomes. De acordo com a testemunha, apontada como um ex-miliciano, Thiago estaria ligado a Orlando de Curicica, chefe da milícia da Boiúna, que está atualmente preso. O depoimento indica que os dois homens participaram do assassinato da vereadora, que estava “atrapalhando” os negócios do grupo paramilitar, na Zona Oeste da capital. O acordo também seria de interesse do vereador Marcello Siciliano, que segue negando as acusações.

  • Além disso, Thiago teria sido o responsável por clonar o carro que foi usado pelos criminosos na noite do assassinato. O veículo era um Cobalt prata com uma placa clonada de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, que pertencia a outra pessoa. A polícia, no entanto, ainda não conseguiu chegar ao carro usado no crime.

    A prisão de Thiago Macaco aconteceu em uma loja do Shopping Nova América, em Del Castilho, na Zona Norte do Rio.

    Continua após a publicidade
    Publicidade