Pioneira, Escócia agora oferece absorventes gratuitamente para as mulheres

Em votação desde março, projeto de lei de combate à pobreza menstrual foi aprovado por unanimidade

Por Isabella Otto 26 nov 2020, 10h19
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Divulgação

Na última terça-feira, 24, o Parlamento da Escócia aprovou por unanimidade o projeto de lei apresentado pela Monica Lennon, que confere às autoridades o dever de disponibilizar gratuitamente absorventes para “quem precisar deles”.

Josette Taylor / EyeEm/Getty Images

A ativista pelo direito das mulheres e parlamentar atua desde 2016 contra a chamada pobreza menstrual, que acomete 1,8 bilhão de pessoas ao redor do mundo, que não possuem condições de ter acesso a itens de higiene básica durante o período menstrual, na maioria das vezes porque se encontram em condições de vulnerabilidade socioeconômica. Para se ter uma ideia, no Brasil, 23% das jovens entre 15 e 17 anos não têm acesso a produtos de higiene íntima. Na África, uma a cada dez meninas falta na escola devido à pobreza menstrual. Os dados são da ONG ActionAid.

  • Para a parlamentar escocesa, a pandemia agravou ainda mais esse cenário, que é uma questão de saúde pública, especialmente em países menos desenvolvidos. Aprovar uma lei como essa é um privilégio da Escócia, pois os obstáculos são inúmeros em outros países. “As menstruações não param por causa das pandemias e o trabalho para melhorar o acesso a absorventes nunca foi tão importante”, disse Lennon.

    Vale recordar que a votação do projeto já estava rolando desde março e foi aprovado agora em novembro, tornando-se lei. Os itens devem ficar disponíveis de maneira gratuita em espaços públicos, além de farmácias, clubes, escolas e universidades. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade