Pelo direito de não saber o que fazer da vida

De quem você gosta? Qual facul você quer fazer? Você não acha que precisa de um intercâmbio? O que você quer da vida, menina? Ahhh, são tantas perguntas!!!

Por Isabella Otto - Atualizado em 6 dez 2019, 12h00 - Publicado em 6 dez 2019, 11h00

Você já ouviu falar no termo teen angst? Em português, ele é conhecido como angústia jovem. No dia a dia, é aquela sensação de querer muito comer algo gostoso, não saber o que, pegar qualquer coisa no armário e depois se arrepender profundamente disso. Só que esse sentimento é desencadeado por outros motivos – e não necessariamente por comida. E nem sempre os hormônios são os grandes vilões!

Pelo direito de não saber o que fazer da vida

Aliás, você já parou para pensar como culpamos os hormônios por todas as coisas que dão errado? É verdade que eles estão à mil na adolescência, mas eles não são os vilões de tudo. Nem sempre essa angústia que sentimos é ruim ou preocupante. É óbvio que ninguém quer sentir aquele aperto no coração e aquela sensação de incapacidade ao não ser correspondida pela pessoa de quem está a fim. Mas essa angústia responsável por essa desilusão (ou podemos simplesmente chamar de bad) é a mesma angustia que te dá aquele friozinho na barriga segundos antes de ser beijada pelo crush. E essa sensação é boa demais para ser apagada.

A gente se cobra em excesso, em todas as fases da vida. Isso, por um lado, é bom, porque faz a gente querer sempre superar nossos próprios limites. Mas também é ruim, principalmente naquela época em que estamos sendo cobradas por tudo e por todos: escola, formatura, faculdade, família, amigos, namorado, curso de idiomas, primeiro emprego…

Continua após a publicidade

Nesse período da vida, a tal da teen angst aumenta. Aumenta tanto que poderia ser calculada em dólar! Mas quer saber? É ok não saber o que fazer da vida, qual rumo tomar, qual faculdade fazer. É ok entrar em um curso e perceber só depois que não era bem aquilo que você queria. Deixe a angústia de lado e recomece. Nunca é tarde demais.

Pelo direito de não saber o que fazer da vida

É ok não ter certeza se você quer ou não ficar com aquela pessoa, não saber o que está sentindo, querer muito uma coisa agora e, cinco minutos depois, pegar bode dela. Deixe a angústia de lado e respeite o que você está sentindo – não o que as outras pessoas querem que você sinta.

É ok sentir-se completamente perdida, sentindo um vazio dentro do peito, desejando muitas vezes algo que você nem sabe exatamente o que é. Deixe a angústia de lado, mas não deixe que ela domine quem você é.

Continua após a publicidade

Renato Russo diria que “somos tão jovens”. Will Traynor, “apenas viva”. Os Beatles, que “all you need is love”. Então, é hora de parar de se maltratar tanto e viver cada dia de uma vez. Para conquistar o mundo (ou, pelo menos, o seu mundo) é preciso vencer batalha por batalha. Não tenha medo de desistir, de errar, de não saber o que fazer, qual decisão tomar. É preciso se perder para se encontrar, e se perder é o que mais fazemos nessa vida.

Pelo direito de não saber o que fazer da vida

Não dá para ignorar a angústia, mas dá para aprender a conviver com ela. Viva bem. Apenas viva. Se cobre menos e seja leve. Temos um trato?

Publicidade