O Maníaco de Marituba: jovem usava perfil fake feminino pra atrair vítimas | Capricho

O Maníaco de Marituba: jovem usava perfil fake feminino pra atrair vítimas

As vítimas eram contatadas inicialmente pelas redes sociais, recebiam falsas ofertas de trabalho e, depois, eram estupradas e mortas.

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 5 fev 2020, 12h00 - Publicado em 5 fev 2020, 11h00

Usando as redes sociais, um jovem de 17 anos, morador de Marituba, no Pará, entrava em contato com mulheres que prestavam serviços de estética a domicílio e marcava um horário para atendimento. O ponto de encontro habitualmente escolhido era um posto de gasolina que ficava na BR-316. Era assim que o adolescente, usando um perfil feminino falso e acreditando que as esteticistas não pesquisariam o endereço antes, atraía mulheres para depois roubá-las, agredi-las e matá-las.

À esquerda, o menor de idade identificado como o maníaco. À direita, o comparsa maior de idade.  TV Liberal/Reprodução

Depois das vítimas chegarem ao local marcado, o adolescente, cujo nome foi ocultado por ser menor de idade, ou o seu comparsa, chamado Jederson Menezes Alves, de 20 anos, surgia de moto ou bicicleta, se passava por marido da suposta cliente ou um motorista de mototáxi, e dizia que estava ali para buscar a profissional. Durante o trajeto, as agressões começavam e as vítimas eram levadas para o mato.

  •  

    Quatro crimes aconteceram entre os dias 4 e 11 de janeiro e os casos, estima-se que 10 no total, passaram a ter ainda mais destaque na mídia após a morte da jovem Samara Duarte Mascoto, sobrinha do deputado federal paraense e delegado Éder Mauro. Samara desapareceu no último dia 10, uma sexta-feira, e seu corpo foi encontrado no dia 12, em um terreno próximo à casa do criminoso.

    Além de Samara, outra vítima também faleceu. Jennyfer Karem da Silva Monteiro, de 17 anos, estava internada desde o último dia 11, quando foi atacada. Jennyfer, que ficou vários dias em coma, veio a óbito no dia 22.

    Samara Duarte Mascoto, à esquerda, e Jennyfer Karem Monteiro, à direita, foram assassinadas pelo Maníaco de Marituba. TV Liberal / Reprodução e Facebook/Reprodução

    Antes dessa onda de crimes ocorrer, o adolescente de 17 anos ficou internado na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) por 11 dias sob a acusação de furto de bicicleta. O jovem foi apreendido recentemente em sua casa, onde foram encontrados celulares, dinheiro e objetos pessoais femininos. Segundo o Ministério Público Federal do Pará (MPPA), ele confessou os crimes em depoimento à Polícia Civil.

    O Maníaco de Marituba responde agora por tentativa de estupro, infração análoga à crime de estupro, femícidio e roubo. O comparsa, Jerderson Menezes Alves, foi considerado réu no caso de Samara Duarte Mescouto, que foi roubada, estuprada e assassinada. Jederson irá responder por latrocínio, ocultação de cadáver, corrupção de menor e estupro.

    O Pará é um dos estados mais perigosos do Brasil para ser mulher, ocupando a 8ª posição em crimes de feminicídio, segundo dados do Monitor da Violência, projeto do G1. Em 2019, o estado registrou um crescimento de 20% nos casos de feminicídio.

    Continua após a publicidade
    Publicidade