30% das mulheres (ainda) culpam outras mulheres pelo estupro

Meninas culpando meninas. Isso é o que mais preocupa.

Por Isabella Otto Atualizado em 22 fev 2021, 13h53 - Publicado em 22 set 2016, 13h21

Uma pesquisa recente realizada pela Datafolha e encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) tem chocado a internet ao mostrar que um terço dos brasileiros culpa as mulheres pelo estupro sofrido e uma das justificativas encontradas para culpar a vítima pelo crime é a roupa que ela estava usando quando tudo aconteceu. Terrível, mas piora.

30% das mulheres (ainda) culpam outras mulheres pelo estupro

Um dado mais preocupante ainda levantado pelo estudo mostra que 30% das mulheres entrevistadas concordam com essa fala tão machista, agregada, muitas vezes, apenas a homens. É muito, muito triste pensar que as mulheres, que deveriam defender outras mulheres e não culpá-las por algo que pode acontecer com qualquer pessoa do sexo feminino, em qualquer lugar, em qualquer hora, estejam culpando as vítimas. “A mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada”, afirmam. Terrível, mas, respira, porque piora um pouquinho mais.

70% dos casos de estupro que ocorrem no Brasil acontecem com crianças ou adolescentes, segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS). Logo, essas mulheres que culpam outras mulheres pelo crime, estão, mesmo que inconscientemente, culpando, muitas vezes, suas próprias filhas. Já parou para pensar nisso? Terrível, mas, acredite, ainda piora.

No Brasil, a cada 11 minutos, uma mulher é estuprada. No Nordeste e no Norte do país, a pesquisa mostra que 9 em cada 10 mulheres convivem com o medo de serem estupradas. Mas o estudo da Datafolha mostrou que nem tudo está perdido. Quanto mais velha a pessoa, seja ela homem ou mulher, maiores são as chances de ela concordar com essas frases e ideias machistas que culpam a garota que sofreu abuso sexual pelo crime. Os jovens, porém, cada vez mais percebem que esse jeito de pensar é errado.

A menina não é responsável pela violência sexual sofrida. Fazendo um paralelo com algo assustador que está acontecendo recentemente em São Paulo, seria como culpar as vítimas dos maníacos da seringa por terem sido espetadas por agulhas que possam estar contaminadas. Não seja um alguém que compactua com a cultura do estupro. Não seja uma garota que culpa outra garota.

 

+ Leia mais: O que é cultura do estupro e como você compactua com ela (mesmo sem querer)

Continua após a publicidade

Publicidade