Nódulos nas mamas também atingem adolescentes; fique atenta

É muito comum que garotas mais jovens encontrem nódulos de mama, principalmente após a primeira menstruação.

Por Amanda Oliveira - Atualizado em 22 mar 2018, 15h45 - Publicado em 18 nov 2017, 10h57

O Outubro Rosa pode ter acabado, mas o câncer de mama é assunto para qualquer época do ano. No Brasil, metade dos casos são descobertos quando já estão em um estágio avançado. Você sabia que muitas meninas adolescentes acham que não devem fazer exames até uma determinada idade? Era isso que a Raquel Silveira pensava quando, aos 18 anos, descobriu nódulos nas mamas.

Autoexame da mama deve começar cedo!  iStock/Reprodução

“Minha ginecologista me pediu ultrassonografia das mamas. Eu estranhei porque a maioria dos médicos fala que isso é só com os 40 anos“, conta. No exame, Raquel descobriu pequenos nódulos mamários bilaterais. No caso dela, eram benignos. Ela ficou assustada, mas os médicos a tranquilizaram dizendo que os nódulos poderiam sumir com o tratamento. Raquel começou a tomar o remédio Gamax, além de continuar fazendo os exames de mama. “Os da mama direita sumiram e os da esquerda diminuíram bastante, mas ainda tenho que ter o controle ultrassonográfico de 6 em 6 meses“, comenta.

De acordo com a Dra. Patricia Kajikawa, mastologista e ginecologista, é muito comum que meninas adolescentes encontrem nódulos de mama, principalmente após a primeira menstruação. “Mulheres de qualquer idade podem apresentar nódulos, mas a faixa etária mais comum para nódulos benignos de mama é dos 15 aos 35 anos“, diz. Segundo ela, histórico familiar aumenta o risco da menina desenvolver a doença. “Principalmente, se os casos são em parentes de primeiro grau que desenvolveram câncer de mama antes dos 40 anos. Mas, mesmo nessas mulheres com histórico familiar, o nódulo de mama mais comum é do tipo benigno”, esclarece.

iStock/Reprodução

Nódulos benignos não costumam evoluir para um câncer. A Dra. Thaís Machado Dias, médica de família do Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, explica que a natureza da célula é o que diferencia o nódulo benigno do maligno. “O maligno é uma célula neoplásica (de câncer) com alta capacidade de reprodução, baixa de apoptose (morte celular) e alta capacidade de invasão de tecidos vizinhos ou a distância. No outro caso, a célula de características benignas não causará consequência alguma para o corpo”, conta. Embora os nódulos benignos não sejam motivos para entrar em desespero real, é importante procurar atendimento e o tratamento mais recomendado.

Segundo a Dra. Patricia, o tratamento dos nódulos benignos costuma ser somente acompanhamento para avaliar o crescimento ou a mudança das suas características. “A cirurgia pode ser indicada quando crescem, causam dor ou deformidade da mama“, diz. Embora a necessidade de exames de rotina seja indicada para mulheres a partir dos 40 anos, ela recomenda que se a garota sentir um nódulo palpável, deve procurar um médico para ser avaliada.

Pratique o autoexame e fique atenta à sua saúde, hein?

 

Continua após a publicidade
Publicidade