No Irã, mulheres veem jogo da Copa em estádio pela primeira vez em 37 anos

Na Rússia, torcedoras iranianas protestaram pedindo a entrada de mulheres nos estádios do Irã. E deu certo!

Por Amanda Oliveira 21 jun 2018, 16h39

De quatro em quatro anos, o mundo inteiro se une para celebrar o amor pelo futebol durante a Copa do Mundo. Mas, em muitos países, alguns direitos simples, como assistir uma partida esportiva, ainda são negados às mulheres apenas por elas serem mulheres. É o que ainda acontece no Irã, onde as mulheres foram proibidas de frequentarem os estádios de futebol do país em 1979, durante a Revolução Iraniana.

Os clérigos iranianos que apoiam a proibição argumentam que as mulheres devem ser “protegidas da atmosfera masculina”, mas há anos elas seguem na luta para que a decisão política seja alterada. Em maio deste ano, cinco mulheres se vestiram como homens para poderem assistir uma partida de futebol no Azadi Stadium, em Teerã. Três semanas antes disso, cerca de 35 torcedoras foram detidas pela polícia do Irã ao tentar entrar no mesmo estádio de futebol.

  • Agora o protesto saiu do Irã e foi mostrado ao mundo. Algumas torcedoras iranianas que foram assistir os jogos na Rússia exibiram cartazes pedindo que deixem as mulheres entrarem nos estádios de futebol do país. As faixas foram aprovadas pela Fifa e pelo LOC (Comitê Organizador Local) por ser uma expressão de apelo social, não um slogan político. A manifestação ganhou força com o apoio dos usuários nas redes sociais e a hashtag #NoBan4Women.

    “Apoie mulheres iranianas a frequentarem estádios” Reprodução/Getty Images

    Depois do protesto na Rússia e de uma grande comoção após a vitória do Irã contra o Marrocos na estreia, quando diversas mulheres tomaram as ruas do país para comemorar, as torcedoras iranianas foram autorizadas pelo governo local a assistir ao jogo contra a Espanha em um telão dentro do estádio de Teerã. 

    De acordo com a ESPN, um abaixo assinado criado por Maryam Qashqaei pressionou o presidente da FIFA, Gianni Infantino, para tomar alguma providência sobre a proibição das mulheres nos estádios. Um trecho do documento diz que o maior estádio do Irã se chama Azadi, que significa “liberdade”, mas qual o sentido do nome se apenas homens são livres para entrar? A petição tem o objetivo de arrecadar 75 mil assinaturas e já tem mais de 60 mil.

    Continua após a publicidade

    A expectativa é de que as mulheres também possam comparecer ao estádio para assistir ao próximo jogo da seleção iraniana, nesta segunda-feira (25), contra Portugal. Mas, além disso, a população do Irã (e agora de grande parte do mundo) também espera que as providências para alterar a lei e permitir a participação das mulheres nos estádios sejam tomadas o mais rápido possível. Afinal, o futebol é para todos e o direito de torcer também. #NoBan4Women

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade