Ninguém vai te amar de maneira incondicional e isso não é uma coisa triste

É só normal mesmo. E te explico o porquê.

Por Atualizado em 3 jun 2022, 18h04 - Publicado em 4 jun 2022, 10h03

Quem ama a gente incondicionalmente é pai e mãe, e olhe lá também! O resto das pessoas do mundo ama a gente a partir de condições. Isso significa que nós precisamos tratar as pessoas com amor, respeito, gentileza, carinho… O que parece bem óbvio visto assim, mas não é tanto.

Basta a gente pensar no nosso dia a dia. Se algo te chateou ou te irritou, é muito mais fácil descontar em alguém da sua casa, no seu namorado ou namorada, ou em algum amigo próximo do que na pessoa desconhecida que despertou a fera adormecida em você.

Uma mulher loira está dormindo no sofá. Os pés dela descansar sobre o colo do namorado, um homem branco, de cabelo castanho
Cena do filme What If (2013), protagonizado por Zoe Kazan e Daniel Radcliffe CBS/Divulgação

Guardamos nosso pior para quem nos ama porque temos uma certeza, um tanto quanto absurda, de que tudo aquilo que fizermos vai ser perdoado em nome do amor. E a equação fica ainda mais bizarra quando entendemos que, se fosse o contrário, nós não aguentaríamos o desaforo de quem a gente ama – mas não é bem assim que funciona.

Temos essa mania de entregar nosso pior momento e nossas piores emoções no colo de quem está do nosso lado, de quem cuida da gente e de quem nos ama, porque acreditamos que assim é o amor. Só que nos esquecemos de que as pessoas nos amam através de condições!

Precisamos aprender a preservar o cuidado que o outro tem com a gente, a amar e respeitar mesmo na hora mais complexa da nossa existência. Afinal, zelar pelo outro quando você está em paz consigo mesmo é fácil.

Ah, pera aí! Então quer dizer que o ser amado não vai estar ao meu lado na pior hora? Opa, calma. Estar ao seu lado e te ajudar é uma coisa, servir de saco de pancadas é outra. Pedir ajuda é diferente de descontar a raiva, a frustração e a tristeza no outro.

Continua após a publicidade

O ser amado, o amor e a relação são preciosidades na vida e não podem ficar à mercê do nosso bom humor. Colocar cada coisa no seu lugar é mais do que necessário; é uma estratégia de sobrevivência!

 

Eu constantemente fico ansiosa, brava ou nervosa por causa do trabalho. E durante anos eu descontei esses sentimentos sendo grosseira com quem eu mais amo – ao mesmo tempo em que eu exigia que essas pessoas ficassem ao meu lado. Afinal, eu não estava bem e estava precisando de carinho.

Como eu poderia tratar mal alguém e exigir amor na mesma hora e medida?! Percebe que ninguém é robô e não é assim que a coisa toda funciona?

Ainda hoje é um grande exercício de percepção saber colocar os sentimentos no seu devido lugar: se é do trabalho, é no trabalho que eu resolvo. Se é da relação, é na relação que eu resolvo.

Não é fácil e é comum que velhos hábitos sejam retomados, mas eu não quero nunca tratar com falta de amor quem eu quero perto de mim.

Haja terapia! E haja amor! Condicional, é claro.

Continua após a publicidade

Publicidade