Neymar é acusado de estupro; pai de jogador diz que “é tudo uma armadilha”

Pai do jogador garante que relação sexual teve o consentimento de ambas as partes e que tudo não passa de uma armação.

Por Isabella Otto - Atualizado em 1 jun 2019, 18h43 - Publicado em 1 jun 2019, 18h35

Na noite da última sexta-feira, 31, um boletim de ocorrência foi registrado em São Paulo. A vítima acusa Neymar Jr. de estupro. O crime teria acontecido no dia 15 de maio, em Paris.

Reprodução/Reprodução

De acordo com o depoimento, o jogador teria arcado com as passagens de avião e a hospedagem da mulher em questão. Em um quarto do Hotel Sofitel Paris, Neymar teria ido encontrar a moça visivelmente embriagado. Ambos teriam trocado carícias, mas, em determinado momento, o atleta teria usado de força física para consumir o ato. “Neymar se tornou agressivo e, mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade da vítima”, está registrado no boletim.

O site do Globo Esporte entrou em contato com a assessoria do jogador, que se encontra na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro, treinando para a Copa América, e ela disse que ainda não tem conhecimento sobre a acusação. “A vítima afirma que estava abalada emocionalmente e com medo de registrar os fatos em outro país, decidindo registrá-los nesta Especializada em razão de seu endereço residencial”, esclarece a polícia.

 

Em entrevista ao Datena, apresentador do Brasil Urgente, da Band, o pai do Neymar disse que o filho está tranquilo e que a relação sexual foi consentida. “Não houve estupro(…) Neymar percebeu que foi uma armação(…) Ele guardou todas as mensagens. Tem tudo documentado(…) Agora, ele vai levar tudo isso a Justiça pra provar que tudo é uma armadilha(…) Vamos entrar com um processo de danos morais, calúnia e difamação”.

O pai do jogador ainda disse que a reação do filho quando soube da notícia foi de espanto e tristeza, e ainda deixou uma ameaça no ar: “já que ela decidiu expor o Neymar dessa forma, no futuro, podemos fazer o mesmo(…) Se a gente tiver que expor as conversas de WhatsApp entre o Neymar e essa moça, isso será feio”.

Datena aconselhou “Neymar pai” a procurar a Justiça e defendeu o jogador: “seu filho é um menino, um jovenzinho de 27 anos de idade”. O pai assegura que o atacante é inocente e que, inclusive, se distanciou da moça que fez a denúncia assim que percebeu que ela estava armando algo. Confira o boletim de ocorrência na íntegra:

Reprodução/Reprodução

Qualquer novidade sobre o caso será postada aqui no site.

Continua após a publicidade
Publicidade