Mulheres estão sendo presas no Irã por postarem vídeos dançando no Insta

Em apoio a uma jovem de 18 anos, que foi presa por postar um vídeo dançando na rede social, iranianas estão protestando com a hashtag #DancingIsntACrime.

Por Amanda Oliveira 14 jul 2018, 10h36

Nas últimas semanas, várias mulheres no Irã publicaram vídeos dançando em suas redes sociais. O que pode parecer apenas um simples gesto de celebração ou arte para muita gente, para as iranianas se trata de um ato de protesto. Tudo começou quando a jovem Maedeh Hojabri, de 18 anos, publicou um vídeo em seu Instagram dançando ao som de uma música pop iraniana. Mas, como Maedeh aparece nos vídeos sem usar o hijab, a jovem acabou sendo presa.

https://www.instagram.com/p/Bk-Tni2lTvI/?taken-by=maedeh_hozhabri

Alguns dias depois, Maedeh apareceu em um canal de televisão local dizendo que seu objetivo não era atrair atenção, mas apenas compartilhar a dança com seus seguidores na rede social. Segundo ela, sua intenção também não era encorajar outras mulheres iranianas a fazerem o mesmo. Ainda assim, diversas pessoas se manifestaram nas redes sociais em apoio à jovem dançarina, publicando vídeos dançando da mesma forma, sem o hijab, e usando a hashtag #DancingIsntACrime (#DançarNãoÉCrime).

  • No Twitter, uma mulher disse que as autoridades podem ver a dança de todas essas mulheres e saber que não podem tirar a felicidade e esperança das iranianas ao prender garotas como Maedeh. Masih Alinejad, ativista e jornalista da TV iraniana, também publicou um vídeo dançando em um parque público, em Teerã, para apoiar o protesto. “Se você é uma mulher no Irã e dança ou canta ou mostra seu cabelo, então você é uma criminosa. Se você quer amar a si mesma, você tem que quebrar leis todos os dias”, disse em um tweet. Confira algumas manifestações online abaixo:

    Não é a primeira vez que uma prisão acontece no Irã por conta de uma dança. Em 2014, seis jovens postaram um vídeo dançando nas ruas e nos telhados de Teerã ao som da música Happy, de Pharrell Williams. Por causa disso, eles receberam sentenças de até um ano de prisão, além de 91 chicotadas. No início deste ano, seis pessoas também foram detidas por dançar zumba.

    O uso do hijab é obrigatório para as mulheres desde a Revolução Iraniana, em 1979. De acordo com as leis do país, as mulheres só podem aparecer sem o véu quando estão na presença de homens adultos que são seus parentes. Elas também são proibidas de dançar com pessoas do sexo oposto em público, a não ser que estejam com membros da família.

    Viver com medo de dançar: essa é a realidade que assombra tantas mulheres do Oriente Médio. Iranianas, o mundo inteiro está vendo, apreciando e apoiando a luta de vocês. #DancingIsntACrime

    Continua após a publicidade
    Publicidade