Miss Peru cita taxas de feminicídio no lugar de medidas do corpo

As modelos e os organizadores do evento denunciaram os muitos casos de violência contra a mulher no Peru.

Por Amanda Oliveira Atualizado em 20 fev 2019, 12h06 - Publicado em 2 nov 2017, 10h16

Quem conhece os concursos de beleza que acontecem ao redor do mundo, sabe que as candidatas desfilam em diversos trajes de roupa e discursam sobre alguns assuntos, além de também apresentar os números de suas medidas corporais. É algo bastante expositivo e polêmico, pois muitos acreditam que essas competições apenas objetificam a mulher.

Contudo, na edição do programa para definir a Miss Peru 2018, os dados foram outros. Muito mais importante do que qualquer tamanho de corpo, as modelos pediram atenção para números alarmantes de feminicídio no país.

Uma de cada vez, as 23 participantes denunciaram casos de violência contra a mulher. “Uma menina morre a cada dez minutos como produto de exportação sexual”, disse Samantha Batallanos. Já a modelo Camila Canicoba, de Lima, revelou: “Foram 2.002 casos de feminicídio reportados nos últimos nove anos no meu país”.

O tema central do programa foi o empoderamento feminino. A organizadora do evento, Jessica Newton, fez um discurso defendendo a liberdade de as mulheres se vestirem do jeito que quiserem. “É uma decisão pessoal. Se eu andar na rua de biquíni, eu continuarei sendo uma mulher tão decente quanto se eu estivesse usando um vestido longo“, ressaltou.

View this post on Instagram

What an incredible moment, full of emotions! 😬😍💃🏻 #missgrandinternational #missgrandperu #peru #peruana #grateful #vietnam #missgrand

A post shared by 𝐌𝐀𝐑Í𝐀 𝐉𝐎𝐒É 𝐋𝐎𝐑𝐀 (@mariajoseloral) on

Continua após a publicidade

Enquanto as modelos desfilavam de biquíni, o telão do palco exibia recortes de jornais e revistas, mostrando casos de mulheres agredidas e assassinadas no país. A vencedora do Miss Peru 2018 foi Maria Jose Lora, de 27 anos, de La Libertad.

Achamos bacana esse tipo de concurso usar sua visibilidade para atrair a atenção do público, que nem sempre está a par de questões relacionadas à violência contra a mulher, para causas tão importantes.

Que sigamos juntas na luta contra o feminicídio! #sororidade

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade