DiCaprio é acusado por Bolsonaro de financiar queimadas na Amazônia

O Presidente da República Jair Bolsonaro deu a entender que acredita que o ator dá dinheiro "para tacar fogo na Amazônia".

Por Isabella Otto - Atualizado em 8 jul 2020, 11h41 - Publicado em 29 nov 2019, 15h17

Na última quinta-feira, 28, após comemorar a prisão dos brigadistas em Alter do Chão, no Pará, no Twitter, que foram soltos no final da tarde também de quinta, o presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista na entrada do Palácio da Alvorada que acredita que o Leonardo DiCaprio tenha sua parcela de culpa nas queimadas da Amazônia.

Reprodução/Reprodução

Para Bolsonaro, a doação de de milhões de dólares que o ator fez em agosto para entidades ambientais que protegem a floresta é um financiamento duvidoso. “Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia”, declarou.

Em agosto, o presidente falou que acredita que as ONGs estejam plantando focos de incêndio na mata para incriminá-lo e incriminar seu governo. Após a liberação das brigadistas, que haviam sido acusados sem provas de que poderiam estar cometendo tal crime, garimpeiros, ruralistas e especuladores imobiliários voltam a ser os principais suspeitos pelas queimadas na maior floresta tropical do mundo.

 

Leonardo DiCaprio é conhecido por ser ativismo ambiental e sua luta contra as mudanças climáticas. Ele é o fundador da organização Earth Alliance, que criou o Fundo da Floresta Amazônia para lutar contra os incêndios que lá estão ocorrendo.

Continua após a publicidade
Publicidade