Jovem que pensava estar com gastrite descobre gravidez na hora do parto

Ana Paola de Toledo Souza, de 29 anos, pensava que as dores e a falta de apetite que sentia eram causadas por um problema de saúde

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 9 abr 2021, 13h43 - Publicado em 8 abr 2021, 18h01

Uma jovem de 29 anos, de Cubatão (SP), procurou o hospital após sentir fortes cólicas, que acreditava serem causadas por uma gastrite. Após alguns exames, soube que estava grávida e que sua bebê estava quase para nascer! Até 2 de abril, eu estava tomando meu anticoncepcional sem pausa. Quem me conhece sabe que eu não sou boa na alimentação, como muita besteira, ou seja, a Manu aguentou tudo isso quietinha, sem fazer um barulho, pois queria vir ao mundo de surpresa”, disse Ana Paola de Toledo.

Ana Paola de Toledo Souza ao lado de de Manuelly, sua filha, logo após o parto
Ana Paola de Toledo Souza ao lado de de Manuelly, sua filha, logo após o parto Acervo Pessoal/Reprodução

“Há oito anos tomo anticoncepcional sem pausa, então, eu não menstruava. Até então, a possibilidade de estar grávida estava descartada”, explicou ao G1. A mulher contou, que quando começou a sentir as dores e a falta de apetite, foi a um médico que a encaminhou para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Ela tentou marcar uma consulta com um especialista, para saber se realmente estava com gastrite e qual tratamento seguir, mas só conseguiria uma vaga depois de três meses. 

Com o agravamento da pandemia, Ana Paola se isolou em casa e ganhou alguns quilos, mas nada que a fizesse pensar em gravidez. Em 1º de abril, acordou com a barriga enrijecida, com cólicas e urinou um líquido branco. “Desacreditei, tentei descartar essa possibilidade, meu namorado e minha mãe também. Porque não tinha como acreditar que eu estava com um filho na barriga e já para nascer”, disse.

Ela foi ao hospital, fez um exame para confirmar se não se trataria de uma infecção urinária e anemia e, em seguida, correu para comprar um teste de farmácia. O resultado deu positivo! A jovem voltou para o hospital e o médico pediu um exame de gravidez, mas o resultado demoraria algumas horas.

  • Como estava com muita dor para esperar, foi para uma maternidade e explicou sua situação. “Não deu tempo nem de saber o sexo antes do parto. Simplesmente nasceu uma menina perfeita”, explicou. A bebê recebeu o nome de Emanuelly e, tanto a mãe quanto a filha, já receberam alta e estão bem.

    Continua após a publicidade
    Publicidade