Inglaterra suspende últimas restrições contra Covid-19

A partir desta segunda-feira, 19, não será mais obrigatório o uso de máscaras em espaços públicos e chega ao fim as medidas de distanciamento social no país

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 19 jul 2021, 16h44 - Publicado em 19 jul 2021, 15h59

Nesta segunda-feira, 19, as medidas impostas por causa da pandemia de Covid-19 foram suspensas Inglaterra. No entanto, as medidas sanitárias continuam valendo nos outros países do Reino Unido – País de Gales, Irlanda do Norte e Escócia. O “Freedom Day”, como foi apelidada a data, só foi possível por causa do avanço da vacinação e o baixo número de mortes no país.

Mulher com máscara posa na frente da Tower Bridge, em Londres
Atualmente, 68% da população recebeu a primeira dose da vacina e 53% receberam as duas doses Alex Davidson / Correspondente/Getty Images

A partir de hoje chega ao fim as medidas de distanciamento social, de restrições de reuniões e encontros, a reabertura de casas noturnas e boates, o fim do limite de capacidade de pessoas em hospitais e estádios e o fim do uso obrigatório de máscaras em espaços públicos. Apesar da suspensão das restrições legais, o primeiro ministro Boris Johnson lembra que “não podemos virar a chave na segunda, 19 de julho, e voltar a viver como antes da Covid-19”.  O premiê também disse que, quando houver vacinas disponíveis para todos com mais de 18 anos, o governo poderá exigir que aqueles que frequentam casas noturnas apresentem um certificado de vacinação.

 O ministro da Saúde britânico, Sajid Javid, se manifestou antes de Johnson anunciar os fim das restrições, lembrando que era preciso manter alguns cuidados. “Os casos irão aumentar quando a gente for se reabrindo, então, enquanto confirmamos nossos planos, nossa mensagem é clara: cautela é fundamental”, disse. O ministro lembrou do aumento do número de casos nas últimas semanas e lembrou que a pandemia “não acabou de forma alguma”.

  • Atualmente, 68% da população recebeu a primeira dose da vacina e 53% receberam as duas doses. Vale lembrar que a última fase da flexibilização das medidas, que aconteceu nesta segunda, inicialmente era planejada para junho – entretanto foi adiada por causa do aumento de casos causados pela variante Delta.

    Continua após a publicidade
    Publicidade