Influenciador agride modelo durante live em festa dada em meio à pandemia

Ou, melhor dizendo, riquinho agressor covarde bate em mulher durante transmissão ao vivo e segue impune, com milhares de seguidores nas redes sociais

Por Isabella Otto 20 out 2020, 09h52
colecao-roupas-capricho-marisa
Divulgação/CAPRICHO

A Rússia é um dos países que se encontra atualmente no topo do ranking dos mais afetados pela pandemia de coronavírus, com mais de 1.430.000 casos confirmados e quase 25 mil mortes. Este cenário, contudo, não está está impedindo pessoas de realizarem festinhas diante da flexibilização da quarentena. O influenciador digital Andrey Burim foi o anfitrião de uma realizada no último dia 16. Na internet, ele é acompanhado por milhões de pessoas e mais conhecido por Mellstroy.

O tal do Mellstroy faz parte daquele nada seleto grupo de machos escrotos que acredita que carros de luxo e dinheiro os torna invencível e irresistível @mellstroy/Instagram

Na house party, o ~criador de conteúdo~ decidiu realizar uma live e, no meio dela, agrediu uma modelo chamada Alena Efremova. Ele a agarrou pelo pescoço e começou a fazer movimentos e vai e vem com a cabeça dela. Em determinado momento, ele começou a bater com a cabeça da moça na mesa.

A polícia russa está investigando o caso e ainda não revelou o que teria motivado Mellstroy a tomar tal atitude. Esta questão, contudo, não parece ser tão difícil assim de responder: o que motiva um agressor a cometer crimes contra a mulher? Pelas caras e bocas que ele faz durante a transmissão, e a reação que esboça na sequência, fica claro que não foi a primeira vez que o covarde fez o que fez, e que sente prazer nessa espécie de demonstração de poder. Inclusive, em seu canal, há uma série de vídeos que mostra o russo sendo abusivo com mulheres, as objetificando e as tratando de forma agressiva.

  •  

    “Mellstroy me bateu na noite passada e me humilhou publicamente em sua transmissão. Eu só quero que ele seja punido por isso, para que isso não aconteça com nenhuma outra pessoa“, disse Alena nas redes sociais, após o crime.

    As informações eram a de que o YouTube havia banido o canal de Mellstroy, mas a CAPRICHO checou e, até o momento em que esta matéria foi publicada, o canal continuava disponível e o influenciador não estava nem um pouco abalado em suas postagens no Instagram, que conta com mais de 375 mil seguidores.

    É aquela velha história que nunca sai de moda: para quem você dá moral nas redes sociais – e na vida?

    Continua após a publicidade
    Publicidade