França cria código para vítimas de violência pedirem ajuda na quarentena

Através dele, vítimas de violência doméstica podem pedir socorro em farmácias, por exemplo

Por Gabriela Junqueira - Atualizado em 1 abr 2020, 19h51 - Publicado em 1 abr 2020, 11h00
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Durante a quarentena criada para conter a pandemia de coronavírus, o número de casos de violência doméstica aumentou em vários países, inclusive no Brasil, e muitos deles estão adotando novas medidas para ajudar as vítimas. Na França, o ministro Christophe Castaner ressaltou a importância da intervenção da polícia, mas explicou que “é necessário que as vítimas possam soar o alarme de outra forma”. Seguindo um modelo usado na Espanha, a França criou um código para as mulheres usarem nas farmácias se estiverem sofrendo algum tipo de violência durante o isolamento.

No país, em áreas rurais, foi registrado um aumento de 32% de agressões contra mulheres. Na área urbana de Paris, o número é ainda maior: 36%! Para que as vítimas possam continuar pedindo ajuda no período da quarentena, mesmo se o agressor estiver por perto, elas poderão usar um código. Por exemplo, ao dizer “máscara 19”, o atendente entenderá que se trata de um pedido de ajuda e chamará a polícia.

Além do sinal, existem dois aplicativos na França para auxiliar as vítimas: o “Stop Violence”, uma plataforma governamental em que é possível comunicar as autoridades com discrição e em anonimato, e o “App-Elles”, que envia um alerta para seus contatos de emergência anteriormente cadastrados.

Continua após a publicidade

O número nacional de denúncias, 3919, também continua funcionando de segunda a sábado, das 9h às 19h. No Brasil, o 180 funciona diariamente, sem intervalos, e a denúncia também é feita de forma anônima. 

Publicidade