Estudantes criam Enem Solidário para ajudar alunos afetados pela pandemia

Seis alunos de Porto Alegre se reuniram e desenvolveram, com a curadoria de professores, uma apostila gratuita para ajudar os menos privilegiados

Por Paula Neiman, da Galera CH - Atualizado em 23 ago 2020, 10h58 - Publicado em 17 ago 2020, 11h00

Estudantes da rede privada da região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande Do Sul, criaram o Enem Solidário, uma apostila de 154 páginas com os principais conteúdos cobrados no Exame Nacional do Ensino Médio. O intuito é diminuir a desigualdade na educação, principalmente no atual momento em que muitos alunos estão estudando à distância ou não estão tendo acesso a nenhum tipo de conteúdo. O projeto foi auxiliado por professores, que corrigiram a apostila fazendo com que o conteúdo ficasse o mais didático e correto possível.

A ideia surgiu após Júlia Cardoso, vestibulanda do curso de Relações Internacionais, decidir fazer alguma coisa contra a desigualdade na educação em tempos de pandemia. A primeira sacada foi ensinar os principais conteúdos dentro da sua própria casa, mas, após conversar com Laura Eberhardt, percebeu as consequências para as pessoas e para si mesma deste ato. As duas então se uniram e decidiram montar um compilado de resumos importantes. Depois, mais quatro amigos foram escolhidos para embarcar na jornada e elaborar uma apostila disponível para download de forma gratuita!

Criadores do projeto Enem Solidário Paula Neiman/Reprodução

Julia Rosa, uma das integrantes, criou seu perfil no Instagram em 2018 para ajudar seus colegas com resumos e conteúdos diferenciados. “As pessoas todos os dias me mandam mensagens positivas, agradecendo e dizendo que aprenderam melhor com o meu Insta, e esse é o motivo pelo qual eu faço”, conta. No @studybyjulia, é possível também conferir um drive completo com planejamentos mensais e roteiros de estudos, além de resumos de todas as matérias.

Eduarda Soares criou neste ano um perfil de estudos. Sua primeira publicação foi sobre cursinhos pré-vestibulares para Medicina. “Sempre gostei de ver os meus colegas aprendendo com os meus conteúdos offline, então decidi trazer isso para o meio online no @dnastudies. Isso me mantém motivada, por saber que preciso fazer para ajudar outros estudantes“, explicou a aluna.

 

Continua após a publicidade

Apesar de estarem perdendo a experiência presencial do 3º ano do colegial, todos reconhecem seus privilégios e percebem o quão sortudos são por terem acesso a um ensino de qualidade, mesmo em tempos de pandemia. “Nós temos oportunidades que outras pessoas não têm”, afirma Henry. “Temos um time de professores excelente, que faz muito além do necessário, e temos contato direto com eles. Temos apoio para questões de ensino, mas também para questões emocionais. A gente sabe que pode contar com cada um ali”, diz Julia Cardoso.

Pensando nisso, os idealizadores do Enem Solidário decidiram ir além e criar um grupo no Telegram, que conta com aulas adicionais e conversas entre os alunos, mesmo que seja só para aliviar a tensão. Qualquer estudante pode participar, basta fazer o download da apostila e acessar o Qrcode ou o hiperlink nela registrado.

Criadores do projeto Enem Solidário Paula Neiman/Reprodução

Os estudantes ressaltam que, para ter uma boa qualidade de estudo, não basta apenas ler o material, é preciso ter cuidados diários com a sua saúde mental, ter bons hábitos de sono e praticar atividades físicas. Entender qual é o seu próprio método de aprendizado também é uma das tarefas importantes, segundo Eduarda: “Eu demorei para perceber o meu, fui na tentativa e erro, tentando buscar conteúdos e me conhecer. Notei, por exemplo, que não consigo ouvir podcast. Não gravo as informações. Descobri que sou uma pessoa mais visual. Notar isso me me ajudou bastante.

A Laura demonstrou total gratidão pela forma como o projeto está crescendo. “Nós pensávamos que chegaria, no máximo, em outras cidades da região metropolitana de Porto Alegre, e quem sabe na própria capital. Perceber que alunos de outros estados estão conhecendo o projeto e sendo ajudados com a apostila nos deixa muito gratos e felizes!“, comenta. Após serem questionados sobre o possível tema do Enem 2020, que acontece nos meses de janeiro e fevereiro do próximo ano, os vestibulandos afirmam que a pergunta é muito difícil, mas dão uma dica para os estudantes: “Fiquem ligados nas redes sociais do INEP. No último ano, eles deram a entender que cobrariam algo relacionado a cinema na última semana antes da prova.”

Clicando aqui, é possível fazer baixar a apostila. Os alunos pedem para que cada pessoa que gostou do projeto faça o download e divulgue o material, para chegar ao máximo possível de estudantes, usando a hashtag #enemsolidario

Continua após a publicidade
Publicidade