Escola altera fotos de garotas do calendário anual para esconder decotes

Pelo menos 80 alunas foram submetidas sem consentimento a um photoshop de baixa qualidade e grotescamente misógino; a foto de nenhum menino foi editada

Por Isabella Otto Atualizado em 26 Maio 2021, 11h24 - Publicado em 26 Maio 2021, 11h23

A escola pública Bartram Trail High School, em St. Johns, na Flórida, está sofrendo acusações de pelo menos 80 estudantes, que alegam terem suas fotos do calendário anual alteradas sem qualquer tipo de autorização. Todos os tipos de decote, do quadrado ao “V” passando pelo ombro a ombro, foram “photoshopados” pela instituição, para assim torná-los, na visão dela, “mais aceitos”.

Fotos de duas garotas que tiveram seus decotes problematicamente alterados para se tornarem
O antes e depois de Elizabeth McCurdy e Riley O’Keefe, respectivamente Arquivo pessoal/Reprodução

A maioria das edições foi feita de maneira bastante duvidosa, o que incomodou ainda mais as alunas, que se sentiram sexualizadas a um nível absurdo. Afinal, as alterações precárias escancaram um machismo estrutural grotesco!

  •  

    “Passa a mensagem de que nossas meninas deveriam se sentir envergonhadas de seus corpos crescendo, e eu acho que essa é uma mensagem terrível para se passar para adolescentes”, disse uma das mães, Adrian Bartlett, ao St. Augustine Record.

    Continua após a publicidade

    Uma das estudantes, Riley O’Keefe, do 9º ano, teve a blusa em que estava usando no dia da foto alterada. O decote “subiu” e os seios “sumiram”. “Mal podia acreditar que eles mexeram na minha foto, imprimiram e publicaram como se fosse ok”, desabafou ao jornal Washington Post.

    Foi Riley quem inclusive começou uma petição contra as atitudes da Bartram Trail High School. Segundo ela, a escola precisa urgentemente entender sobre consentimento e sobre como essas alterações são problemáticas e afetam as jovens mulheres. Durante discurso, ela usou a mesma roupa em que a escola considerou ofensiva. “Nós não deveríamos ser consideradas inadequadas, porque são apenas nossos corpos”, revoltou-se outra estudante, Elizabeth McCurdy, ao WJAX.

    Continua após a publicidade

     

    Tim Forson, Superintendente do Distrito Escolar do Condado de St. Johns, emitiu um comunicado lamentando as ações da instituição de ensino, que não se pronunciou sobre o ocorrido, apenas ofereceu uma espécie de reembolso às alunas afetadas. Sim, a escola ofereceu dinheiro. O quão ofensivo é isso?! Pois é. Quando a gente acha que não pode piorar..

    Importante ressaltar que a foto de nenhum garoto foi editada, mesmo que eles estivessem vestindo roupas que ferissem o tal código de conduta da escola.

    Continua após a publicidade
    Publicidade