“Enfermeira sexy”: Bruna Marquezine defende-se de escolha de fantasia

Atriz foi criticada pelo Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo, que disse que visual contribui para a sexualização das profissionais mulheres

Por Isabella Otto Atualizado em 4 nov 2021, 10h10 - Publicado em 4 nov 2021, 10h09

Criticada pelo Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo por usar neste Halloween uma fantasia de “enfermeira sexy”, Bruna Marquezine se manifestou nas redes sobre o ocorrido. A atriz falou que vê as profissionais da categoria como heroínas e que não foi sua intenção desvalorizar a classe.

Bruna Marquezine vestida de
Instagram/Reprodução

“Como artista e consequentemente pessoa pública, tenho total conhecimento sobre meu alcance e poder de influência. No entanto, convido os órgãos competentes a uma reflexão profunda, e não pessoal, sobre como a indústria pornográfica, o machismo estrutural e a cultura do estupro são o verdadeiro cerne da sexualização e erotização das mulheres em qualquer uma das profissões”, escreveu.

A carioca se referiu a um trecho da nota emitida pelo Coren-SP em que dizia que a escolha de look de Marquezine objetificava uma classe que já era bastante sexualizada: “A enfermagem é uma profissão, não uma fantasia. Repudiamos veementemente essa conduta, pois ela incentiva a sexualização de uma categoria que há décadas luta por valorização e respeito. São trabalhadoras que enfrentam sucessivas jornadas de trabalho, em seus lares e no cotidiano profissional e que não merecem ou devem ser estereotipadas dessa forma. O Coren-SP defende que todo o humor e diversão são válidos desde que não prejudiquem ou provoquem qualquer impacto negativo na vida do próximo“.

Continua após a publicidade

+: “Fantasias” que não são (mais) admissíveis serem usadas em festas

O órgão também já se manifestou sobre o posicionamento da atriz, reiterando que “esse tipo de conotação sexual é inadmissível em um país misógino, machista e violento como o Brasil. O que pode parecer um gesto inofensivo, na verdade, contribui para erotizar a imagem de uma profissão que, historicamente, sofre com assédios, violências e abusos psicológicos de toda ordem“. O Conselho também disse que “seguirá seu trabalho constante de defesa da imagem da categoria, conforme previsto na Lei de Criação dos Conselhos de Enfermagem”.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Coren-SP (@corensaopaulo)

A problematização em cima da fantasia de Bruna, contudo, foi criticada por alguns próprios profissionais. Muitas enfermeiras disseram que preferem que a “defesa da imagem da categoria” seja feita valorizando o trabalho no dia a dia – e não somente nas redes sociais. “Valorização pra mim é um salário decente, compatível com nossa função, cargo e responsabilidade”, disse Amanda Cruz. Jéssica Balduino concordou com a colega: “Queremos respeito na nossa folha de pagamento que é catastrófica!”.

Abaixo, você confere a primeira nota emitida pelo Coren-SP, criticando a escolha de fantasia de Bruna Marquezine:

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Coren-SP (@corensaopaulo)

Continua após a publicidade

Publicidade