Digitais são encontradas em cápsulas de balas que mataram Marielle Franco

Contudo, o desfecho da história ainda parece estar bem longe...

Por Da Redação 11 abr 2018, 14h58

Quase um mês após o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, a solução do caso parece algo muito distante. A Polícia Civil e a Polícia Federal seguem analisando pistas que possam dar, pelo menos, um norte às investigações. Na última, 10, foi divulgado que digitais foram encontradas nas capsulas das balas usadas para matar a vereadora e o motorista.

Reprodução/Reprodução

As informações foram relatadas pelo jornal O Globo. Os peritos acharam as digitais nas cápsulas que foram anteriormente encontradas na esquina das ruas João Paulo I e Joaquim Palhares, no centro do Rio de Janeiro, local do crime.

  • O problema é que as digitais estão fragmentadas. Ou seja, ainda não é possível compará-las às digitais do banco de dados da polícia. Contudo, é possível usá-las na identificação de possíveis suspeitos já apontados.

    Marielle Franco e Anderson Gomes foram assassinados no dia 14 de março, no Rio de Janeiro. A vereadora do PSOL estava voltando de um evento de empoderamento de mulheres negras quando foi perseguida por um veículo. Oito balas foram encontradas no local após o crime. O caso continua em aberto.

    Continua após a publicidade
    Publicidade