Conheça o indiano que está há mais de 45 anos com o braço levantado

Amar Bharati virou um sadhu e dedica sua vida a fazer renúncias materiais, como a do corpo físico, em nome dos deuses

Por Isabella Otto 8 dez 2021, 12h14

Viralizou nesta semana a história do indiano Amar Bharati, que, há mais de 45 anos, mantém o braço direito levantado. O gesto é um sinal de devoção ao deuses hindus, em especial à Shiva, considerado o criador do Yoga e um dos símbolos máximos de bondade.

Foto do monge indiano Amar Bharati, que há mais de 45 anos vive com um braço esticado para o alto. O membro direito dele está atrofiado, as unhas estão gigantes, ele tem uma barba longa branca e veste um chapéu cocô vermelho e verde
Foto de Amar Bharati tirada em 2013, durante o Mela Festival, em Allahabad, na Índia Eric LAFFORGUE/Gamma-Rapho/Getty Images

Nos anos 70, Bharati abandonou seu trabalho no banco, sua mulher e seus três filhos ao receber um chamado espiritual. Ele partiu em uma peregrinação, tornando-se, após algum tempo de viagens e estudos, um sadhu, termo usado para designar um monge andarilho que abdica da sua vida e de bens materiais em nome da fé. É muito comum que sadhus também façam sacrifícios, como manter braços levantados ou pernas dobradas por anos, para renunciar também ao corpo material.

“Eu não peço muito. Por que lutamos entre nós? Por que existe tanto ódio e inimizade entre nós? Eu quero que todos os indianos vivam em paz. Quero que o mundo inteiro viva em paz“, disse em entrevista ao site Unilad. E essa devoção toda de Bharati é meio que um protesto contra o mundo em que vivemos.

Por causa do gesto, o braço de sadhu atrofiou, mas ele garante que o mantém para cima até quando realiza atividades que precisaria de ambos os membros e que assim continuará até sua morte. “O início foi doloroso. Minha mão ficou inchada por uns seis ou sete meses, mas depois o inchaço passou“, revelou ao veículo de notícias.

Uma verdadeira prova de resistência da vida real, não?

Continua após a publicidade

Publicidade