Cientista alemã cria “anticoncepcional masculino” após problema com pílula

A alemã Rebecca Weiss desenvolveu um contraceptivo indolor, que neutraliza os espermatozoides e até o momento não apresentou nenhum efeito colateral

Por Gabriela Junqueira 20 out 2021, 18h18

Após desenvolver um câncer de colo de útero, provavelmente causado pelo uso de anticoncepcionais, a inventora Rebecca Weiss problematizou o fato de que a maioria dos métodos contraceptivos do mercado é voltado para as mulheres. “Quando meu companheiro e eu procuramos alternativas, percebemos a falta de métodos destinados aos homens”, contou. A alemã então resolveu criar ela mesma um contraceptivo masculino, o COSO. A criação deu tão certo que Rebecca ganhou o prêmio principal do James Dyson Awards!

Colagem com imagem de COSO e inventora alemã
Divulgação/Reprodução

O problema não é exclusivamente meu. Afeta muitas outras [mulheres] também. Portanto, decidi lidar com o desenvolvimento de uma nova abordagem anticoncepcional para homens em minha tese de mestrado em Desenho Industrial na Universidade Técnica de Munique”, explicou quando recebeu o prêmio.

A invenção consiste em um artefato, que se assemelha a uma pequena banheira, e usa o ultrassom para neutralizar temporariamente os espermatozoides. O método é indolor, exige poucos minutos e a sensação é de um banho morno nos testículos. O contraceptivo dura alguns meses e até o momento não foram identificados efeitos colaterais.

Com o prêmio de US$ 45 mil (algo em torno de R$ 250 mil), Weiss pretende buscar incentivo para realizar mais testes e futuramente comercializar o contraceptivo masculino, uma alternativa para as mulheres que não podem ou não querem tomar pílula anticoncepcional. A criação também faz pensar sobre como o peso de uma gravidez indesejada, por diversos motivos, ainda hoje recai mais sobre a mulher. Será que a masculinidade frágil de alguns homens vai ser abalada por esse “banho nos testículos”? Apostamos que sim.

Arrasou, Becca!

Continua após a publicidade

Publicidade