Ciência: Estudantes brasileiras descobrem asteroides inéditos

As duas adolescentes fazem parte de um grupo de iniciação científica ligado à Unesp de Bauru

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 1 fev 2021, 17h11 - Publicado em 1 fev 2021, 15h44

Duas adolescentes brasileiras, Micaele Vitória Cavalcante Gomes e Laura dos Santos Dias, descobriram, cada uma, um asteroide inédito – ou seja, que nem a NASA havia identificado. As duas estudantes, ambas de 17 anos, integram o Projeto Caça Asteroides, um grupo de iniciação científica ligado à Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Bauru. 

Estudantes brasileiras descobrem asteróides inéditos; entenda
Maciej Frolow/Getty Images

Para realizar as descobertas, as jovens analisaram uma série de imagens capturadas pelo telescópio do projeto Pan-STARRS1, que fica no alto de um vulcão inativo com mais de 3 mil metros, no Havaí. Foi uma oportunidade única na minha vida, não só de estudar mais sobre os asteroides, mas de, quem sabe, fazer a descoberta de um novo objeto. Contribuir para o meio científico de alguma maneira é um dos meus grandes sonhos“, disse Micaele, que sonha em ser cientista.

O asteroide que a jovem descobriu está relativamente próximo a Sol e recebeu o nome de P11bEV1. Já  o corpo rochoso encontrado por Laura foi batizado como P11bNcu. Os objetos descobertos pelas jovens agora serão analisados por astronômos que devem observar nos próximos anos suas rotas e características.

  • Espero que essa descoberta leve esperança para outros estudantes da rede pública que querem seguir carreira na área“, afirmou Laura.

    Após, a órbita dos objetos for traçada, a  Minor Planet Center (Harvard) vai catalogá-los e as duas adolescentes poderão escolher os nomes dos asteroides. Micaele diz que vai utilizar o tempo desse processo para pensar em um nome especial. Laura, por outro lado, já sabe: quer usar o nome da mãe, Rosilene.

    O projeto da qual as duas estudantes faz parte foi criado pela graduanda de física da Unesp, Helena Carrara, com o objetivo de divulgar a astronomia entre os jovens. O grupo faz parte da Iasc (International Astronomical Search Collaboration), um programa de ciência cidadã, que possibilita que pessoas do mundo inteiro possam contribuir.

    Parabéns pelas descobertas, meninas! <3

    Continua após a publicidade
    Publicidade