Caso Henry: Conselho de Ética do RJ pede cassação do vereador Dr. Jairinho

Jairo Souza Santos Júnior, vereador do Rio de Janeiro e um dos suspeitos de matar Henry Borel, está preso desde o começo do mês

Por Isabella Otto Atualizado em 27 abr 2021, 10h38 - Publicado em 27 abr 2021, 10h35

Na última segunda-feira, 26, Monique Medeiros, a mãe do menino Henry, que chegou morto ao hospital no dia 8 de março, mudou a versão sobre o crime. Agora, ela diz que era manipulada e agredida pelo vereador Dr. Jairinho, seu namorado.

Dr. Jairinho e Monique, acusados de matar o menino Henry, posam em retrato policial
Dr. Jairinho e Monique Medeiros posam para retrato policial Polícia de RJ/Reprodução

O advogado de defesa de Leniel Borel, pai de Henry, entretanto, disse em entrevista ao Programa do Datena, também na última segunda, 26, que Monique é interesseira e mentirosa. “Ela vendeu o filho dela para a morte para desfrutar de uma vida que nunca teve. Ela vendeu o filho para ter uma vida de luxo”, falou Aílton Barros. Para o Jornal Nacional, da TV Globo, Barros garantiu que “a carta da Monique é uma peça de ficção, que não encontra apoio algum nos elementos de prova carreados aos autos. Não há realidade no relato dela”.

  • Na manhã desta terça-feira, 27, a Agência Brasil divulgou que o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal do Rio de Janeiro está pedindo a cassação do vereador Jairo Souza Santos Júnior e que vai encaminhar uma representação contra o parlamentar à Mesa Diretora da Câmara.

    O vereador, conhecido como Dr. Jairinho, está preso desde o começo deste mês, suspeito de matar o menino Henry Borel com a ajuda da namorada, Monique Medeiros, a mãe do garoto.

    Continua após a publicidade
    Publicidade