Bolsonaro chama Greta Thunberg de pirralha e ativista desafia presidente

Aos 16 anos, sueca que luta contra as mudanças climáticas mostra que não é de levar desaforo pra casa - mesmo que ele venha do Presidente do Brasil.

Por Isabella Otto - Atualizado em 8 jul 2020, 11h41 - Publicado em 10 dez 2019, 14h19

Na manhã desta terça-feira, 10, Jair Bolsonaro concedeu uma coletiva com alguns jornalistas na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília. O Presidente do Brasil, de 64 anos, chamou a ativista sueca que luta pelo clima Greta Thunberg, de 16 anos, de pirralha quando questionado sobre o genocídio indígena que vem se intensificando no país.

Continua após a publicidade

O que acontece é que, nas redes sociais e na cúpula da ONU que rolou na última segunda, 9, Greta questionou a morte de dois indígenas da tribo Guajajara em um atentado que ocorreu no último sábado, 7, no Maranhão. “Povos indígenas estão literalmente sendo assassinados por tentar proteger a Floresta Amazônica do desmatamento ilegal(…) É uma vergonha que o mundo faça silêncio sobre isso“, foi um dos questionamentos da ativista que incomodou Bolsonaro.

A adolescente, em contrapartida, se mostrou 100% desencanada com a fala do presidente, que já chegou até ela, e fez questão de atualizar a bio do Twitter para “pirralha”, em um misto de protesto e desafio. Greta não falou mais nada sobre o ataque de Bolsonaro, que disse que “qualquer morte preocupa” seu governo. Confira a mudança que Greta fez em seu profile:

Reprodução/Reprodução

Vale ressaltar que a fala do Presidente da República também desmerece, mais uma vez, o trabalho do jornalista, já que ele diz que é impressionante que a mídia dá espaço “pra pirralha lá”. 

Ela é afrontosa ela – mas só quando precisa!

Publicidade