Aprendendo sobre sororidade com o filme Meninas Malvadas

Você não só pode, como deve se sentar com a gente!

Por Isabella Otto Atualizado em 3 out 2019, 18h32 - Publicado em 3 out 2019, 12h00

O filme Meninas Malvadas foi lançado há exatos 15 anos, mas continua sendo bastante atual – e um dos títulos queridinhos da “Sessão da Tarde”. Para comemorar, (quase) todas as quartas, nós da CAPRICHO vestimos pink. Mas isso não significa que deixamos o feminismo de lado. Até porque uma coisa não tem nada a ver com outra, né?

Aprendendo sobre sororidade com Meninas Malvadas
Reprodução/Reprodução

Lá em 2004, o clássico adolescente já promovia um debate interessante sobre atitude girl power. Você pode nunca ter olhado por esse lado, mas as citações a seguir, todas retiradas do longa, nos fazem refletir bastante sobre uma palavrinha muito conhecida entre as feministas: sororidade. Já ouviu falar?

1. “Esse foi o pior dos boatos.”
Cady Heron (Lindsay Lohan) diz a frase acima na reta final do filme, quando todos do colégio pensam que ela realmente empurrou Regina George (Rachel McAdams) na frente de um ônibus. Boatos e rumores são sempre horríveis, porque, na maioria das vezes, eles não são verdadeiros. Então, bora aprender de uma vez por todas? Sororidade é uma palavrinha dentro de feminismo que representa a irmandade entre as garotas. É isso. Parece difícil, mas não é. Sororidade é não incentivar a competição e o ódio entre as meninas, se unir em prol da igualdade de direitos entre os gêneros, apoiar umas às outras, defender as amigas e colocá-las acima de qualquer garoto, picuinha ou boato.

2. “Elas escrevem fofocas sobre outras meninas em um livro.”
Agora que aprendemos o princípio básico do termo, é hora de queimar todos os nossos “Livros do Arraso”. Mesmo aqueles que não existem fisicamente, mas só em nossas cabeças.

3. “Levante a mão quem já falou mal da amiga pelas costas.”
Nós não estamos dizendo que você, de uma hora para outra, precisa controlar até os seus pensamentos. Não é assim que funciona. Mas pense duas, três, quatro vezes antes de atacar uma garota com deduções desnecessárias, do tipo: julgar a menina pelo tamanho da saia. A Sra. Norbury tem uma bela explicação para isso, aliás. Você a descobre no próximo parágrafo!

Aprendendo sobre sororidade com Meninas Malvadas
Reprodução/Reprodução

4. “Vocês precisam parar de se chamar de piranhas e vadias. Isso incentiva os homens a fazerem o mesmo.”
A professora de matemática, Sharon Norburie (Tina Fey), diz essa frase durante o seu discurso sobre sororidade no ginásio da escola, após toda a confusão causada pelo Burn Book. Pensa só: se nós mesmas julgamos umas às outras, como vamos poder reclamar dos julgamentos que recebemos diariamente (que saco!) de garotos? Isso, meninas, só nos enfraquece. E antes que você diga: “Aff, mas que papo chato CH!”, pense em quantas vezes você já sofreu, se incomodou e se sentiu pressionada por um rótulo ou por um padrão imposto pela sociedade ~machista~.

Continua após a publicidade

5. “São muitos exemplos de agressões femininas.”
Infinitos, Sra. Norburie! E sabe qual é a pior parte? Muitas agressões são praticadas por meninas, quando, na verdade, garotas não deveriam gongar garotas . Migas, Amigas & Rivais só na novela do SBT, beleza? E olhe lá!

6. “Essa é a saia mais horrorosa que já vi na vida.”
Então, é hora de pensar duas vezes antes de criticar outras pessoas, principalmente pela casca. Quer dizer, quantas vezes você já se surpreendeu com alguém ou disse que nunca seria amiga de fulana, mas, na semana seguinte, não conseguia mais viver sem ela?

7. “Eu não sei. Ela é tão estranha. Ela estava falando comigo sobre surtos.”
Lembre-se também de que cada menina sente as coisas de uma forma. Algumas são mais confiantes e seguras de si, enquanto outras sentem tudo com muita intensidade! Por isso, um comentário que para você pode parecer inofensivo, para outra pessoa pode ser o fim do mundo. Em tempos de redes sociais, praticar a sororidade virtualmente também é indispensável! Vamos nos amar mais, gente! Vamos nos elogiar mais! A vida é tão curta para intrigas e competições e pressões sociais e imposições. Vamos desejar a todas inimigas vida longa, de coração.

Só assim, quem sabe, poderemos de uma vez por todas terminar uma matéria com essa com a frase que encerra o filme Meninas Malvadas (e mostra uma nova Regina George): “Finalmente, o mundo das garotas estava em paz”. 😉

+ Leia mais: 7 razões para você empoderar uma garota em vez de explicar feminismo para um cara

Continua após a publicidade
Publicidade