Amsterdã faz apelo para que salvem a Amazônia em principal ponto da cidade

Ação do Greenpeace alerta sobre o desmatamento desenfreado e contínuo da Floresta Amazônica

Por Isabella Otto Atualizado em 27 jun 2019, 19h11 - Publicado em 27 jun 2019, 13h00

“É apenas quando alguma coisa vai embora que percebemos o quanto sentimos falta dela”. É com essa frase que o Greenpeace idealizou uma campanha em prol da Amazônia. Para chamar a atenção sobre a precária situação da floresta brasileira, um dos antigos pontos turísticos mais fotografados de Amsterdã e da Europa reapareceu de cara nova.

Letreiro que anteriormente ficava próximo ao Museu Nacional de História e Arte. Reprodução/Reprodução

Na última quarta-feira, 26, a frase “I am(sterdã)”, que ficava na praça em frente ao Museu Nacional de História e Arte dos Países Baixos, foi substituída por “I am(azonia)”, como forma de protesto.

O famoso letreiro já não existia desde dezembro de 2018, quando as autoridades decidiram removê-lo por segurança, já que a aglomeração no local era intensa. Desde então, milhares de pessoas vêm se queixando de saudade… Saudade essa que o Greenpeace garante que vamos sentir da Amazônia, que vai desaparecer como o sinal de Amsterdã se as coisas continuarem do jeito que estão.

Confira imagens da ação abaixo:

Um famoso ponto de referência se foi… e outro também está prestes a ir”, diz campanha do Greenpeace. Reprodução/Reprodução
Continua após a publicidade

Publicidade