Ah, não! Coalas entram para a lista de animais funcionalmente extintos

Restam tão poucos exemplares da espécie que o contínuo desmatamento de florestas pode dizimá-los de vez do globo terrestre

Por Isabella Otto Atualizado em 31 Maio 2019, 19h28 - Publicado em 31 Maio 2019, 12h46

Você sabe o que significa a expressão “funcionalmente extintos“? Quer dizer que a quantidade de exemplares de uma determinada espécie se tornou tão reduzida que, talvez, eles nem mais consigam se reproduzir entre si. Teoricamente falando, é quando a espécie “deixa de exercer um papel significativo e determinante no ecossistema em que vive”. E isso acaba de acontecer com os coalas…

Vicki Smith/Getty Images

Recentemente, a Fundação Australiana dos Coalas emitiu um aviso comunicando que o animal havia entrado para a lista de espécies funcionalmente extintas. Estima-se que, no mundo, haja atualmente apenas 80 mil coalas. Um número muito baixo e que pode ser dizimado com tranquilidade por alguma doença e até mesmo pelo contínuo desmatamento de florestas.

De acordo com a fundação, há um decreto de lei escrito desde 2016 no congresso australiano que prevê a proteção de um dos animais mais icônicos do país. Até agora, contudo, ele não foi legitimado. O primeiro-ministro, Scott Morrison, foi notificado mais uma vez pelos ambientalistas, porém, até o momento, nenhuma medida foi tomada.

  • Um site chamado Save The Koala foi lançado com o intuito de gerar uma conscientização global sobre a espécie e tentar tirá-la da zona de risco de extinção. Com sua doação, a Fundação Australiana dos Coalas pretende fazer um trabalho de reprodução, para tentar reverter o quadro natural atual. Além disso, é possível adotar um coala e plantar uma árvore em seu nome.

    Gostaria de contribuir, mas não tem dinheiro para isso? Compartilhe esta matéria e faça barulho nas redes sociais. É possível usar a internet a nosso favor! Quem sabe, dessa maneira, não atraímos a atenção de governantes e grandes companhias?!

    Os coalas entram para essa trágica lista ao lado de algumas espécies de tartarugas, rinocerontes e golfinhos.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade